Grandes investimentos e menos riqueza nos principais municípios da RNF

Valor Adicionado Fiscal é a remuneração dos fatores de produção realizada pelas empresas ao longo do ano. Esse indicador define a transferência de ICMS do estado para os municípios dois anos depois. A partir da definição podemos observar que os principais municípios da região Norte Fluminense terão menos ICMS em 2018 do que tiveram em 2017. O pior resultado ocorrerá em São João da Barra (sede do porto do Açu e produtor de petróleo) que apresentou uma queda nominal de 24,43% , seguido por Macaé (sede das empresas petrolíferas e produtor de petróleo). Bastante contraditório não é?
Seguindo, podemos observar que a queda em Campos é bem menor de 6,74%, enquanto no estado a queda foi de 1,36%. 
Repito que se não profissionalizarmos o setor público não teremos futuro. Só para alarmar, São João da Barra perdeu R$20,0 milhões de ISS em 2016, na comparação com 2015. Pode?

Comentários

  1. Isso diz muito para nós. Aponta a urgência dessas mudanças profundas que nós é tantos outros vimos apontando. Mas para as quais as autoridades locais fecham os olhos. Perdemos o bonde da cana, do petróleo e das rendas. Vamos perder o do porto e do que vier.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito José Luiz, entendo que a prepotência política é o verdadeiro atraso da nossa região. As lideranças do setor público insistem em fechar os olhos para importantes indicações técnicas que poderiam auxiliar de sobremaneira o processo de transformação socioeconômico local/regional. O discurso de aproximação com a universidade não sai do palanque.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Dom Américo homenageado na ACL pelos cinquenta anos de vida artística