Indicadores de gestão orçamentária de Campos e Macaé

Indicadores da execução orçamentária em Campos dos Goytacazes e Macaé, no primeiro semestre de 2017, mostram vantagem para Macaé, apesar da sua difícil situação fiscal. 
Em primeiro lugar, as receitas tributárias em relação as receitas correntes realizadas em Macaé é mais que o dobro da de Campos, o que justifica o pleito de Macaé quanto a proposta de redução de royalties de petróleo em troca de investimento direto no setor. Macaé é sede de um conjunto importante de empresas que operam com petróleo.
Em segundo lugar, as despesas com pessoal e encargos de Macaé representaram 50,7% das receitas correntes realizadas, enquanto que em Campos o peso dessa despesa chegou a 61%. As despesas de custeio em Macaé também tem um peso menor sobre as receitas correntes, ou seja, 30,3% enquanto em Campos chegou a 42% no período.
Finalmente, o valor relativo alocado em investimento é maior em Macaé, entretanto sem nenhuma expressividade. Os dois município perderam a capacidade de investimento o que é muito grave. 
Finalmente, apesar das dificuldades enfrentadas por Macaé, foi registrado um superávit de 21,6% entre receitas orçamentárias realizadas e despesas orçamentárias liquidadas no período. O auto superávit pode ser em função da diferença de 80% entre o valor empenhado das despesas correntes e o valor liquidado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

A atividade Agropecuária no Estado do Rio de Janeiro em 2011

O Perfil da Agricultura em Campos dos Goytacazes