Observações sobre o fórum de desenvolvimento regional realizado em Campos dos Goytacazes

O fórum de desenvolvimento regional promovido pela rede Record de televisão em Campos dos Goytacazes, cumpriu seu papel no sentido de aglutinar lideranças e promover um espaço para o debate técnico em busca de alternativas para os graves problemas vividos pelos municípios da região. O que ouvi e vi ajudou a fortalecer a minha tese sobre os problemas socioeconômicos da região.

Da fala do jurista Luiz Flávio Gomes sobre ética na política, pude comprovar alguns comportamentos nada éticos. Como exemplos, o uso do evento para publicidade pessoal de alguns políticos e o total desprezo dos mesmos em relação a temas tão importantes para a sociedade.

As falas do superintendente do IBAM sobre gestão municipal e da coordenadora no mesmo órgão sobre responsabilidade ambiental e de total interesse dos gestores públicos, não foram aproveitadas, em função da ausência dos mesmos gestores.

A minha singela palestra sobre os grandes investimentos de base em recursos naturais na região e o paradoxo do aprofundamento da pobreza, também pode ter sido em vão, já que os responsáveis pela condução das políticas púbicas também não estavam presentes.

Não quero dizer com isso que foi em vão todo o esforço dos organizadores, prefiro considerar que estamos no início de um processo de aprendizagem e que vamos superar essa debilidade. Entretanto, não posso deixar de apontar os graves problemas que inibem o desenvolvimento regional.

Cito, por exemplo, a falta comprometimento das lideranças públicas. Vejo que é necessário dar um passo além do discurso. É preciso também reconhecer a relevância do conhecimento cientifico e não o considerar como uma ameaça política. Cada um tem o seu próprio espaço. É crucial entender que cooperação e reciprocidade depende do elemento confiança na sociedade. Estamos falando da construção de capital social, materializado na capacidade de articulação da sociedade em busca de objetivos comuns. Esse ambiente exige ÉTICA.


Finalmente, sem observar esses elementos qualquer, proposta, ou seja, lá o que for, não passa de discurso da boca para fora. Assim, ou mudamos a nossa postura atual para um novo comportamento ético ou não conseguiremos preparar o ambiente para o desenvolvimento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra