A trajetória econômica dos anos 2000 em Campos dos Goytacazes é inibidora do desenvolvimento

Se a produtividade é o determinante mais importante para o crescimento de longo prazo e padrões de vida crescente, como diz o presidente do Fórum de desenvolvimento mundial Klaus Schwab, o município de Campos dos Goytacazes precisa ser reconstruído, tanto no contexto da gestão pública, quanto na mudança de comportamento das lideranças não governamentais.

A variação média da produtividade do trabalho, no período de 2002 a 2015, foi negativa em -1,7% ao ano, enquanto a análise estatística de regressão composta, com vista a entender o seu relacionamento com outras variáveis independentes, acentuaram os seguintes pontos:

(i) enquanto cresce as receitas correntes, declina a produtividade no trabalho;
(ii) enquanto cresce o investimento público, declina a produtividade do trabalho;  
(iii) enquanto cresce o crédito, declina a produtividade do trabalho;
(iv) variações na mesma direção foram identificadas na relação transferências correntes e receitas tributárias.

As transferências correntes explicam em torno de 68,65% a evolução média da produtividade do trabalho, enquanto que as receitas tributárias explicam em 65,87%. 

Claramente a evolução positiva das transferências correntes e das receitas tributárias não foram capazes de impulsionar a produtividade do trabalho. Estamos diante de um problema, já que a condição observada é inibidora do desenvolvimento e, portanto, compromete padrões de vida crescente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como um discurso descuidado induz a erros grosseiros!

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra