Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

Emprego Formal em maio na região Norte Fluminense

Imagem
O emprego formal avançou em maio na região Norte Fluminense. Foram criadas 1073 novas vagas, processo liderado por Campos dos Goytacazes com geração de 1.461 vagas no mês, seguido por São Francisco de Itabapoana com geração de 146 novas vagas. Claramente sobressai a cadeia açucareira que está em operação. Contrariamente, Macaé eliminou o maior número de vagas no mês. Foram 465 empregos eliminados em maio e 3.382 vagas eliminadas no acumulado, em função da crise no setor petrolífero. Na avaliação setorial para o período de janeiro a maio,  Campos dos Goytacazes gerou 1.973 novas vagas no setor agropecuário, e 522 vagas na indústria de transformação. Já os setores extrativa mineral, construção civil, comércio e serviços, eliminaram 23 vagas, 478 vagas, 507 vagas e 210 vagas sucessivamente. Macaé criou 9 vagas no setor agropecuário e eliminou 678 vagas no setor extrativa mineral, 124 vagas na indústria de transformação, 942 vagas na construção civil, 586 vagas no comércio e 1.055 no setor …

Livro Economia Norte Fluminense

Imagem
Meus amigos, estou disponibilizando o link para baixar o livro Economia Norte Fluminense - 3ª edição de 2014.
Aproveitem a leitura, abraços!

http://www.centersat.com.br/terceira_edicao_completa.pdf

O complexo caminho para o desenvolvimento ....

Imagem
Parece que estamos conseguindo dar um passo adiante. Lideranças de organizações importantes, como Firjan, Sebrae, o próprio governo de Campos dos Goytacazes, dentre outros, já reconhecem que erramos ao nos acomodarmos aos grandes projetos de base em recursos naturais e, portanto, é preciso olhar para as atividades tradicionais. Como diz o meu amigo Ranulfo Vidigal, bingo.... Entretanto, meus amigos, o outro passo é muito mais complicado ainda. Trata-se de COMO materializar essa nova visão. Somente o discurso não adianta muito. O como, depende de rígidas mudanças na estrutura do "DNA" local cultural. Estou falando de mudanças de comportamento, reconstrução das bases do capital social. Trata-se de questões sociológicas, antropológicas, que vão amparar questões econômicas importantes do desenvolvimento.
O esforço de mudança deve continuar.....

Observações sobre o fórum de desenvolvimento regional realizado em Campos dos Goytacazes

O fórum de desenvolvimento regional promovido pela rede Record de televisão em Campos dos Goytacazes, cumpriu seu papel no sentido de aglutinar lideranças e promover um espaço para o debate técnico em busca de alternativas para os graves problemas vividos pelos municípios da região. O que ouvi e vi ajudou a fortalecer a minha tese sobre os problemas socioeconômicos da região.
Da fala do jurista Luiz Flávio Gomes sobre ética na política, pude comprovar alguns comportamentos nada éticos. Como exemplos, o uso do evento para publicidade pessoal de alguns políticos e o total desprezo dos mesmos em relação a temas tão importantes para a sociedade.
As falas do superintendente do IBAM sobre gestão municipal e da coordenadora no mesmo órgão sobre responsabilidade ambiental e de total interesse dos gestores públicos, não foram aproveitadas, em função da ausência dos mesmos gestores.
A minha singela palestra sobre os grandes investimentos de base em recursos naturais na região e o paradoxo do apr…

DIVULGAÇÃO

Imagem

A trajetória econômica dos anos 2000 em Campos dos Goytacazes é inibidora do desenvolvimento

Imagem
Se a produtividade é o determinante mais importante para o crescimento de longo prazo e padrões de vida crescente, como diz o presidente do Fórum de desenvolvimento mundial Klaus Schwab, o município de Campos dos Goytacazes precisa ser reconstruído, tanto no contexto da gestão pública, quanto na mudança de comportamento das lideranças não governamentais.
A variação média da produtividade do trabalho, no período de 2002 a 2015, foi negativa em -1,7% ao ano, enquanto a análise estatística de regressão composta, com vista a entender o seu relacionamento com outras variáveis independentes, acentuaram os seguintes pontos:
(i) enquanto cresce as receitas correntes, declina a produtividade no trabalho; (ii) enquanto cresce o investimento público, declina a produtividade do trabalho;   (iii) enquanto cresce o crédito, declina a produtividade do trabalho; (iv) variações na mesma direção foram identificadas na relação transferências correntes e receitas tributárias.
As transferências correntes explic…

A Balança Comercial brasileira contabiliza superavit comercial em maio de 2017

Imagem
A Balança Comercial brasileira apresentou um saldo superavitário de US$7.661 milhões em maio. As exportações somaram US$ 19.792 milhões e as importações US$12.131 milhões. No acumulado de janeiro a maio, o superávito somou US$29.032 milhões, resultado de exportações no valor de US$87.932 milhões menos importações no valor de US$58.900 milhões.  Comparando maio de 2017 com maio de 2016, verificamos um crescimento do saldo superavitário de 19,1% e um crescimento de 47,5% no saldo acumulado de janeiro a maio.  No período acumulado de janeiro a maio de 2017, observamos um crescimento das exportações de 16,4% e um crescimento de 9,4% nas importações, comparativamente ao mesmo período de 2106. As exportações de bens e serviços tiveram uma contribuição efetiva nesse inicio de recuperação do PIB no primeiro trimestre de 2017, com um incremento de 4,8% enquanto as importações de bens serviços contribuíram com um crescimento de 1,8% em relação ao último trimestre de 2016.

Exportação de Petróleo em Bruto em maio de 2017

Imagem
A exportação de petróleo em bruto em tonelada cresceu 11,6% em maio, com relação a abril. A receita em dólar cresceu 8,3% e o preço por tonelada caiu 2,8% no mesmo período. Comparativamente a maio de 2016, a exportação em tonelada cresceu 50,3% a receita em dólar cresceu 103,5% e preço em tonelada cresceu 35,3% no mesmo período.  Apesar da valorização do preço do petróleo em 2017, em comparação a 2016, nos últimos três meses podemos observar uma trajetória de queda.

Exportação de Minério de Ferro em maio de 2017

Imagem
A exportação de minério de ferro, em tonelada, cresceu 46,0% em maio, com relação a abril. A receita em dólar cresceu 1,8% enquanto o preço por tonelada caiu 30,4% no mesmo período. Na comparação com mesmo mês do ano passado, o volume exportado em tonelada cresceu 3,3% a receita em dólar cresceu 23,1% e o preço por tonelada cresceu 19,0% no mesmo período.
O gráfico mostra a trajetória do preço do minério de ferro no mês de maio, nos anos 2012 a 2017. Podemos observar que depois do ponto mais crítico em maio de 2015, o preço vem se recuperando, ainda bem lentamente.

Exportação de Açúcar em Bruto em maio de 2017

Imagem
A exportação de açúcar em bruto em tonelada cresceu 76,7% em maio, com relação a abril. A receita em dólar cresceu 66,5% enquanto o preço por tonelada caiu 5,8% no mesmo período. Na comparação com maio do ano passado, foi verificado um crescimento de 19,3% no volume exportado, crescimento de 53,0% na receita em dólar e crescimento de 28,2% no preço por tonelada.
O gráfico apresenta a trajetória do preço por tonelada para o mês de maio, no período 2012 a 2017. Em 2017 podemos observar a recuperação do preço que vinha em queda nos anos anteriores.

Fim da recessão no país?

Depois de oito trimestres em queda ou dois anos de recessão, o PIB do país apresentou um crescimento de 1,0% no primeiro trimestre de 2017, na comparação com o último trimestre imediatamente anterior. Um bom resultado evidentemente, porém pouco ainda para grandes comemorações. A base de comparação deprimida exige um certo cuidado.  Agora, o que merece ser comemorada é o crescimento do setor agropecuário. O crescimento no trimestre bateu 13,4% em função da excelente safra de grãos. A natureza deu uma boa ajuda com chuvas providenciais.   
Já pela ótica da despesa, a expectativa do crescimento da economia puxado pela consumo das famílias não funcionou. Foi contabilizado um um declínio nessa conta de (-0,1%), enquanto a Formação Bruta do Capital Fixo declinou (-1,6%) em relação ao quarto trimestre de 2016. 
É aguardar para ver os próximos desdobamentos políticos e seus reflexos na economia.