Em busca dos benefícios de grandes projetos nos municípios sede: o caso de São João da Barra

















Um indicador importante para medir a absorção interna das externalidades positivas dos grandes projetos, poderia ser o número de empresas constituídas no período equivalente. Na busca de um melhor entendimento sobre o caso de São João da Barra, sede do porto do Açu e produtor de petróleo, levantamos o número de constituição de empresas no período entre 2006 a 2016. Para auxiliar a análise, comparamos a mesma movimentação com São Francisco de Itabapoana e Santo Antonio de Pádua. Os dois municípios não receberam grandes investimentos no padrão de São João da Barra e não são produtores de petróleo.  
Como podemos observar na imagem acima, São João da Barra superou São Francisco na constituição de empresas no período entre 2010 a 2015, porém as diferenças foram pequenas, considerando a movimentação de riqueza em cada município.  Nos outros anos, praticamente não existiram diferenças.
Já na comparação com Santo Antônio de Pádua, é nítida a sua superioridade em relação a São João da Barra, fato que levanta dúvidas sobre os benefícios desses grandes projetos ancorados em municípios frágeis economicamente.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra

As medidas do governo do estado e suas contradições