As medidas do governo do estado e suas contradições

O estado do Rio de Janeiro isentou empresas ricas de recolher ICMS no valor de R$ 185,8 bilhões, nos mandatos desses senhores. Contraditoriamente, a pressão tributária se abateu sobre as pequenas e médias empresas que não deram conta e desempregaram fatores de produção.  
Com isso, a atividade econômica se retraiu e o problema do emprego não foi resolvido. Foram eliminadas 168.734 vagas, somente no período de janeiro a setembro deste ano. Realmente uma equação complexa, onde de um lado devemos somar a retração da produção, a queda das rendas, o aumento dos preços e juros e o avanço do endividamento; e do outro lado, a estratégia de governo de recomposição orçamentária, pesando a mão nos aposentados, já endividados e com renda corroída pelo esfacelamento do poder de compra. Os aposentados e pensionistas foram eleitos a contribuir com a bagatela de R$6,8 bilhões ao ano. O grupo com rendimento abaixo de R$5.189,82 e isento de contribuição, passará a contribuir com 30% se a medida for aprovada. Dentre as outras medidas que taxam a previdência, aumenta a alíquota de ICMS, eliminam benefícios sociais, etc., esta é a mais significativa. A sociedade vai ter que brigar muito para combater tamanha agressão a população.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra