O êxito socioeconômico local passa pelo uso eficiente da terra



As propriedades são vizinhas e se localizam nas proximidades do porto do Açu, em São João da Barra. A primeira, uma terra "nua", sem trabalho e que não gera nenhum tipo de riqueza. A segunda propriedade, no "sítio do Birica", o trabalho permite a geração de múltiplas alternativas de cultivo. Esse comparativo é importante para mostrar que a terra é uma dádiva e que, com a incorporação de trabalho e conhecimento, permite a geração de uma riqueza que insere os trabalhadores, alimenta a população, gera emprego, renda e combate a pobreza e a miséria. 

Neste momento em que os municípios produtores de petróleo da Bacia de Campos mostram forte fragilidade financeira, em função da dependência às rendas petrolíferas, as alternativas econômicas estão, exatamente, na terra. A crise do setor petrolífero tende a se aprofundar e esses municípios precisam pensar na produção de bens e serviços de valor agregado. 

Assim como quase todos os municípios do estado, São João da Barra é importador de alimentos. Como produz muito pouco, uma alternativa inicial seria o planejamento para aproveitamento dos benefícios do Programa Federal da Merenda Escolar. Nesse caso, deveria diagnosticar a demanda potencial, assim como, planejar e induzir a oferta agregada dos principais alimentos, a partir de um modelo de organização produtiva de cunho coletivo. Tal ação garantiria uma maior dinamização do setor agropecuário, com reflexos no avanço qualitativo da economia local.  O sucesso de um programa dessa natureza passa, necessariamente, por um maior comprometimento dos gestores públicos, maior envolvimento das lideranças não governamentais e efetiva interação com universidades e centros de pesquisa.


Comentários

  1. Boa tarde doutor, não consigo entender como um estado como Rio de Janeiro a agricultura é tão atrasada! Em outros lugares do país a produtividade do agronegócio é altíssima. Por que não plantamos soja trigo como no sul e centro-oeste; ou frutas para exportação, como no Vale Vale do Rio São Francisco?

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde doutor, não consigo entender como um estado como Rio de Janeiro a agricultura é tão atrasada! Em outros lugares do país a produtividade do agronegócio é altíssima. Por que não plantamos soja trigo como no sul e centro-oeste; ou frutas para exportação, como no Vale Vale do Rio São Francisco?

    ResponderExcluir
  3. Olá Rogério, realmente pensar na terra como elemento de prosperidade é essencial. Evidente que temos algumas limitações. Nossas propriedades são pequenas, o que dificulta a grande escala, porém podemos trabalhar com um modelo de organização diferente, baseada na ação coletiva. Acho que pensar na produção de qualquer cultura, associando a possibilidade de processamento industrial com organização é a alternativa. Abraços!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra