sábado, 26 de março de 2016

Nova edição da Revista de Extensão da UENF

Já está no ar a nova edição da Revista de Extensão da UENF. Nesta edição especial, estão publicados artigos e relatos de experiências do Centro de Biociências e Biotecnologia (CBB). A coordenação de todo processo foi do professor Renato Augusto Da Matta que atuou como editor convidado. Desejamos uma boa leitura!

terça-feira, 22 de março de 2016

Emprego formal em fevereiro de 2016

O mês de fevereiro aprofundou o processo de deterioração do emprego na região Norte Fluminense. Foram eliminados 2.617 empregos no mês, contra 1.905 em janeiro. Na comparação com fevereiro do ano passado, houve um aumento de 53,4% no número de empregos eliminados. 
No acumulado do ano, foram eliminados 4.522 empregos na região. Macaé eliminou 49,9% e Campos dos Goytacazes eliminou 44,8% do total de empregos eliminados no acumulado de 2016.
Na avaliação por setor de atividade, em Campos dos Goytacazes os empregos eliminados foram concentrados na indústria de transformação (705 vagas), no comércio (523 vagas), no setor de serviços (522 vagas) e na construção civil (180 vagas).
Em Macaé, os setores responsáveis pela eliminação dos empregos foram: serviços (1.188 vagas), construção civil (435 vagas), comércio (430 vagas) e indústria de transformação (249 vagas).
O estado do Rio de Janeiro eliminou 22.287 vagas em fevereiro e 47.836 vagas no acumulado, enquanto o país eliminou 104.582 vagas em fevereiro e 204.276 vagas no acumulado de 2016.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Petrobras registra prejuízo de R$ 34,8 bilhões em 2015

http://oglobo.globo.com/economia/petrobras-registra-prejuizo-de-348-bilhoes-em-2015-18927735


RIO - A Petrobras registrou prejuízo líquido de R$ 34,8 bilhões no ano passado. É a maior perda anual da companhia. Em 2014, a estatal apresentou prejuízo de R$ 21,58 bilhões devido às baixas contábeis em seu balanço por conta das investigações da Operação Lava-Jato e da queda do preço do barril do petróleo, que deteriorou o valor de alguns ativos.


O confronto partidário, os ataques as instituições e aos órgãos de comunicação, tiram o foco das verdadeiras questões. Vejam que o prejuízo da Petrobrás, ocasionado por interferência governamental, e o substancial processo de corrupção, comprovado no governo atual, são fatos reais. São incontestáveis!

segunda-feira, 14 de março de 2016

Quais são os verdadeiros problemas?


















Imagem Jornal O Globo

A força popular é realmente algo exuberante. Isso quer dizer que, o que existe, de fato, é a sociedade e, o seu fortalecimento organizacional, depende do avanço da democracia. Diante dessa visão, qualquer movimentação em tordo do fortalecimento democrático é essencial. Entretanto, entender essa problemática também é importante e os diagnósticos tem que ser mais precisos.

Partindo dessa reflexão, penso que o problema do país não é o PT, Dilma ou Lula. Na verdade toda a estrutura do sistema político partidário está contaminada pelo processo de corrupção endêmico e, portanto, sem forças para agir em torno do movimento de recuperação econômica, política, social e cultural no país.

Assim, um ponto central da discussão é que as pessoas moram nas cidades e lá recorrem a satisfação de suas necessidades fundamentais, seja de emprego, lazer, saúde, educação, moradia, dentre outras. Dessa forma, seria interessante que o foco das movimentações não ficasse concentrado somente no governo federal. Este é um ano de eleições municipais e julgo ser extremamente necessário pensar sobre possíveis respostas as perguntas que se seguem: Como os residentes desses municípios estão agindo no sentido de melhorar o processo democrático local? Qual a qualidade das articulações em torno da escolha dos melhores candidatos ao executivo e o legislativo? As populações estão analisando o processo eleitoral em seus municípios e denunciando ao MP possíveis arbitrariedades que dificultam a evolução democrática? Os eleitores estão discutindo as competências e a honestidade dos candidatos? Como deve se dar o processo de captação de votos este ano? Será que o processo evoluiu positivamente em relação as eleições passada? Existe renovação entre os possíveis candidatos ao executivo e legislativo?


Acredito que respostas honestas a essas perguntas, podem caracterizar o estágio atual da democracia nos diferentes municípios em que vivemos. Finalizando, quero lembrar que a mais de vinte anos o Brasil pediu o afastamento do Fernando Collor que virou senador, enquanto o processo democrático no país, se não involuiu, ficou no mesmo lugar.

sábado, 12 de março de 2016

Eleições municipais! Importante refletir!





















Neste ano de eleições municipais no país, fica um importante alerta para as populações envolvidas. Especialistas do mundo inteiro tem afirmado que aumentos significativos de desenvolvimento socioeconômico ocorrem em territórios, cujas iniciativas locais, tiveram suporte na qualidade dos planos de desenvolvimento; participação ativa da população; qualificação dos recursos humanos; formação de redes econômicas e funcionamento das instituições democráticas. 
Situações diferentes, onde ocorreram iniciativas locais politizadas e predominância de interesses pessoais sobre os interesses coletivos, ocorreu perda de confiança no setor público local e a corrupção interferiu negativamente na política de desenvolvimento nesses ambientes. 
Verifique como esse processo está evoluindo, nesse momento, em sua cidade. Reflita com a sua família e com os seus amigos!

terça-feira, 8 de março de 2016

quinta-feira, 3 de março de 2016

PIB declina 3,8% em 2015


O Produto Interno Bruto - PIB (riqueza gerada no país) declinou 3,8% em 2015, com relação ao ano passado.Conforme a sua trajetória mostrado no gráfico, foi o pior resultado dos anos 2000. Pela ótica da demanda, o consumo das famílias caiu 4,0% e o consumo do governo caiu 1,0% no mesmo ano. Já pela ótica da produção, a indústria retraiu 6,2%, o setor de serviços retraiu 2,7% e o setor agropecuário, único que cresceu, evoluiu 1,8% no mesmo ano. A taxa de investimento em relação ao PIB foi 18,2% no ano, inferior a taxa de 20,2% em 2014. A taxa da poupança ficou em 14,4%, também inferior a taxa de 16,2% de 2014.

Royalties de petróleo em fevereiro na região Norte Fluminense

Os valores de royalties de petróleo depositados em fevereiro, na região Norte Fluminense, mantém o quadro de retração da receita e as dificuldades orçamentárias dos municípios produtores. O valor recebido pela região em fevereiro foi menor  23,36% em relação ao mesmo mês do ano passado. O valor total correspondente ao Rio de Janeiro foi menor 15,9% e o total transferido aos municípios no país foi menor 18,07%, considerando o mesmo período. Podemos observar que a região Norte Fluminense apresentou uma queda maior do que as outras unidades.

quarta-feira, 2 de março de 2016

30 anos do Plano Cruzado

http://www.valor.com.br/especial/planocruzado

Passados 30 anos do Plano Cruzado, o primeiro de uma sequência de planos de estabilização dos anos 80 para domar a inflação, a escalada dos preços continua atormentando a vida dos brasileiros. Não é a superinflação da década de 80. Mas o resistente IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de dois dígitos — 10,71% em 12 meses até janeiro — não autoriza comemoração.

terça-feira, 1 de março de 2016

Resultado da Balança Comercial brasileira em fevereiro

O resultado da Balança Comercial do Brasil em fevereiro evoluiu, em relação a janeiro. O valor da exportação somou US$13.348 milhões, as importações US$10.305 milhões e o saldo superavitário US$3.043 milhões. No acumulado deste ano, as exportações somaram US$24.593 milhões, as importações US$20.628 milhões e o saldo US$3.965 milhões. 
Na comparação entre fevereiro de 2016 com fevereiro de 2015, foi verificado uma queda de  30,99% nas importações e um crescimento de 10,39% nas exportações. Em fevereiro de 2015 o saldo era deficitário em US$2.840 milhões.

Exportação de minério de ferro em fevereiro

A exportação de minério de ferro em fevereiro apresentou uma leve recuperação, com relação a janeiro. O volume embarcado foi maior 19,61% e o preço foi menor 12,6% no período. Em relação a fevereiro de 2015, foi verificado um crescimento de 18,56% no volume embarcado em fevereiro deste ano, porém o preço regrediu 54,38% no mesmo período.

Exportação de açúcar bruto em fevereiro

A exportação de açúcar bruto apresentou uma leve recuperação em fevereiro, com relação a janeiro. O volume embarcado em fevereiro superou em 100,98% o volume de janeiro e o preço foi maior 2,8% no mesmo período. Na comparação com fevereiro de 2015, o volume embarcado em fevereiro deste ano foi maior 179,49%, porém o preço praticado foi menor 16,32%.