Participação relativa do emprego e renda nas mesorregiões do estado do Rio de janeiro

















A evolução do emprego formal nas mesorregiões do estado do Rio de Janeiro, nos períodos entre 2000-2007-2014, mostra uma desconcentração na mesorregião metropolitana com redistribuição para as outras mesorregiões do estado, com destaque para a mesorregião norte fluminense. No primeiro período entre 2000-2007, esta mesorregião apresentou uma forte evolução, ampliando a sua participação de 3,63% para 5,77% em relação ao estado, enquanto a mesorregião metropolitana viu cair a sua participação de 84,75% em 2000 para 81,84% em 2007. A mesorregião Baixadas também experimentou uma boa evolução de 1,91% para 2,85% no mesmo período. As mesorregiões centro fluminense e sul fluminense tiveram uma leve retração em suas participações e a mesorregião noroeste fluminense aumentou levemente a sua participação no mesmo período. Os investimentos nas atividades petrolíferas tiveram papel fundamental.
No segundo período, entre 2007 a 2014, o processo de desconcentração do emprego na mesorregião metropolitana continuou, porém com uma dinâmica mais fraca. A participação caiu de 81,84% para 80,64%, enquanto a mesorregião norte fluminense subiu de 5,77% em 2007 para 6,05% em 2014. Como podemos observar, o crescimento nesse período não tem a mesma força do período anterior. Apesar dos investimentos no setor de infraestrutura portuária (porto do Açu em São João da Barra), a desaceleração dos investimentos no setor petrolífero foi mais forte e interrompeu a dinâmica observado no primeiro período. A mesorregião baixadas manteve um bom ritmo de crescimento relativo no segundo período e a mesorregião noroeste fluminense viu a sua participação melhorar no segundo período, em relação ao primeiro período.
A análise também considerou a evolução relativa da renda salarial nas mesorregiões nos mesmos períodos. As participações relativas as mesorregiões são apresentadas no gráfico.
                                                                                                            











A mesorregião metropolitana perdeu participação na renda do estado. No primeiro período, a participação caiu de 89,45% em 2000 para 84,07% em 2007. No segundo período a trajetória de queda continuou chegando a 82,43%. Inversamente, a mesorregião Norte Fluminense viu a sua participação da remuneração do trabalho subir fortemente. Em 2000 a participação era de 2,64%, subindo para 7,61% em 2007 e 8,61% em 2014. Assim como no emprego, o crescimento da participação do rendimento foi mais forte no primeira período. A participação do rendimento na mesorregião Baixadas também apresentou uma boa evolução com crescimento mais forte no primeiro período. As observações relatadas na trajetória da participação do emprego explicam também a evolução da participação no rendimento.
A desaceleração da economia mundial, a partir de 2008, afetou a economia brasileira. Entretanto, a prepotência dos desatentos gestores contribuiu para piorar o quadro que combinou corrupção, má gestão orçamentária, crise política e desconfiança generalizada. A desvalorização do preço do barril de petróleo completou toda essa problemática sem indicações de saída no curto prazo.

Os dados foram organizados por Thais Talmai, bolsista de Iniciação Científica e graduanda em Engenharia de Produção da UENF. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra

As medidas do governo do estado e suas contradições