Execução orçamentária no estado do Rio Grande do Sul

A execução orçamentária no Estado do Rio Grande do Sul em 2014, ajuda a entender o problema financeiro atual que levou o estado a negociar o parcelamento dos salários dos servidores públicos. Vejam a que ponto chegou a ineficiência da gestão pública no estado.

Neste ano as receitas orçamentárias realizadas somaram R$41.538 milhões e as despesas orçamentárias liquidadas somaram R$42.049 milhões. O resultado foi deficitário em R$511 milhões no mesmo ano.

Do total das despesas correntes liquidadas, os gastos com pessoal somaram R$21.602 milhões ou uma participação relativa da ordem de 55,5% das receitas correntes, enquanto os gastos de juros e encargos somaram R$1.560 milhões ou 4,0% do total. Completa a conta outras receitas operacionais no valor de R$15.865 milhões onde lidera as transferências para os municípios no valor de R$8.620 milhões.

Na conta de capital o saldo foi deficitário em R$374 milhões. No grupo das despesas de capital, a liderança ficou por conta da amortização da dívida com R$1.709 milhões, seguido pelo valor alocado em investimento em R$989 milhões.


Na demonstração da execução das despesas por função, chama atenção os grupos previdência social, com alocação de R$10.455 milhões e encargos especiais (encargos da dívida interna e e outras transferência) no valor de R$12.373 milhões. Esses dois grupos consumiram 54,3% do total das despesas orçamentárias liquidadas no exercício fiscal de 2014.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra