Movimentação do emprego formal em abril na região Serrana

Por Maécio Pinto Baptista, graduando em Engenharia de produção na UENF.

O país vivencia uma crise econômica refletida nos diversos setores da economia nacional, estadual e regional. Não precisa investigar em revistas e relatórios de consultorias especializadas para verificar os sinais da crise, basta fazer suas compras mensais em qualquer supermercado.

Um sinal da decadência econômica nacional e regional é a situação do emprego formal no primeiro quadrimestre de 2015. De forma geral, os resultados de emprego são negativos na avaliação entre admissões e desligamentos nos primeiros meses do ano.
Como exemplo desse cenário, vamos analisar o primeiro quadrimestre do ano de 2015 na microrregião de Nova Friburgo e Serrana, considerando os municípios que fazem parte das respectivas microrregiões. Os dados aqui citados provêm do MTE.

 A contexto de comparação, a Figura acima apresenta dados gerais do mês de abril e do acumulado do quadrimestre para as microrregiões analisadas, o estado do Rio de Janeiro e Brasil. Foram eliminados 97,8 mil empregos no mês de abril e 162,7 mil empregos no primeiro quadrimestre do ano no país. O Estado do Rio de Janeiro eliminou 12,5 mil empregos no mês de abril e 60,2 mil empregos no primeiro quadrimestre do ano.

Como dito anteriormente, a Região Serrana, representada elas microrregiões Serrana e Nova Friburgo, não se apresentam de forma diferente no que tange os dados relacionados aos empregos formais no período analisado, ressalvas algumas elevações nas taxas, mas que, no conjunto, não alteram o cenário decadente. A figura a seguir irá apresentar os dados de cada município com mais detalhes.

A microrregião de Nova Friburgo, depois de uma elevação em março, onde foram gerados 127 empregos formais no mês, continuou gerando empregos. No mês de abril foram gerados 99 empregos formais, contabilizando todos os setores. O município que mais influenciou na elevação da taxa foi, justamente, o mais importante economicamente para a microrregião: Nova Friburgo, com geração de 154 empregos formais no mês. Aliás, Nova Friburgo se destaca por apresentar saldo positivo no acumulado do ano, com a geração de 114 empregos nos primeiros quatro meses. O setor que impulsionou essa alta foi o de Comércio com 98 empregos gerados, seguido pela setor da Indústria de Transformação que gerou 38 empregos. Sumidouro, com geração de 1 emprego foi o único, além de Nova Friburgo, que apresentou saldo positivo no mês de abril nessa região. O saldo positivo da microrregião não foi maior devido ao desemprego gerado em Bom Jardim, com eliminação de 51 empregos. Contudo, a região ainda apresenta taxa de desemprego no primeiro quadrimestre do ano, com eliminação de 39 empregos formais.

Em contrapartida, a microrregião Serrana apresentou taxa de desemprego, correspondendo à realidade apresentada pelo Estado e pelo país, de forma geral. Foram eliminados 341 empregos em toda a microrregião no mês, número este impulsionado pelos 2.414 desligamentos observados em Petrópolis, que resultaram na eliminação de 261 empregos no município. Todos os três municípios da microrregião Serrana apresentaram números de eliminação de empregos. O setor que mais contribuiu para o saldo negativo foi de Construção Civil, com eliminação de 195 empregos. A microrregião Serrana apresenta, agora, no acumulado dos primeiros quatro meses do ano, um total de 864 empregos eliminados, constatando gravíssima crise enfrentada pelo país.

Apesar da microrregião de Nova Friburgo ter apresentado saldos positivos em Março e Abril, o cenário ainda é grave, visto que o acumulado da região também é negativo como em todo o país. Pensar soluções no curto e médio prazo é essencial para o amortecimento da crise regionalmente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra