Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2015

Emprego Formal em declínio no primeiro mês de 2015 na região Norte Fluminense

Imagem
Mais um indicador negativo para o país, estado e região Norte Fluminense. Em janeiro deste ano, o país eliminou nada menos que 81,7 mil vagas de trabalho, enquanto o estado do Rio eliminou 40,6 mil vagas e a região Norte Fluminense eliminou 2,4 mil vagas. Destas, Macaé liderou com a eliminação de 1.288 vagas, seguido por Campos dos Goytacazes com 874 vagas eliminadas e São João da Barra com 247 vagas eliminadas. Em Campos, Macaé e São João da Barra, todos os setores geraram saldo negativo de emprego. O comércio e o setor de serviços foram os mais afetados. Em janeiro de 2014 o resultado também foi negativo, com a eliminação de 999 empregos. Conforme podemos observar, a situação piorou muito em janeiro deste ano.

A crítica de Levy a desoneração da folha das empresas

Camara aprova pacote de bondades para deputados com impacto anual de 150,3 milhões

http://oglobo.globo.com/brasil/camara-aprova-pacote-de-bondades-para-deputados-com-impacto-anual-de-1503-milhoes-15437559

Enquanto o pacote de maldade do Governo Federal afeta, fortemente, a população, a Câmara de Deputados se protege com um robusto pacote de bondade. É mole?

Para Levy, não há nada de problemático na economia brasileira

Imagem
FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, RICARDO LEOPOLDO - O ESTADO DE S. PAULO 23 Fevereiro 2015 | 11h 41 Em palestra a economistas e empresários, o ministro da Fazenda disse que o ajuste fiscal vai exigir 'certa imaginação' e 'esforço', mas que o pacote está dentro da capacidade do País
Para conseguir aprovar as medidas que deseja, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy precisa do apoio do setor privado e do Congresso.
RELACIONADASDólar alcança R$ 2,90 após Levy falar sobre intervenções no câmbio'A diminuição de subsídios não vai fazer o País parar', diz LevyMercado prevê inflação e recuo do PIB ainda maiores para 2015 SÃO PAULO - O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, voltou a dizer em São Paulo que é muito importante a estratégia de se rever alguns benefícios fiscais. Segundo ele, o custo de R$ 100 bilhões de benefícios fiscais por ano é muito dinheiro. "O ajuste que vamos fazer agora está absolutamente dentro da nossa capacidade", disse o ministro, em evento em Sã…

Rendas de Petróleo e Investimento nos principais municípios da Bacia de Campos

Imagem
Os principais municípios produtores de petróleo da bacia de Campos (Campos dos Goytacazes, Macaé, Cabo Frio, Rio das Ostras e São João da Barra), receberam de Royalties e Participações Especiais o equivalente a R$ 25,2 bilhões nos últimos quatorze anos. Conforme o gráfico acima, a parcela relativa a essas receitas destinada a investimento é pequena, o que indica o uso exagerado das mesmas receitas em custeio, ou seja, aumento da máquina pública. 
Na comparação entre os municípios indicados, Rio das Ostras apresentou o melhor resultado com o uso proporcional de 57,23% das receitas em investimento, seguido por Cabo Frio com a utilização de 31,05%. Os dois municípios colocam a região da Baixada Litorânea em uma posição melhor do que a região Norte Fluminense. Por essa região, Campos dos Goytacazes apresentou um percentual de 25,26% em investimento, seguido por Macaé com 24,45% e, na pior posição, o municípios de São João da Barra com a alocação de 10,58% das receitas de royalties e Partic…

Receita de royalties cairá cerca de 40% em fevereiro

Imagem
Jornal O Dia Créditos a serem liberados na próxima semana vão ser menores do que em janeiroAURÉLIO GIMENEZ Rio - Os valores dos créditos em royalties de petróleo — parcela de fevereiro, referente a competência de dezembro de 2014 — que serão liberados na próxima semana para municípios produtores vão ficar entre 35% e 40% menores em relação ao que foi depositado em janeiro. A estimativa pessimista foi apontada por três especialistas ouvidos pelo DIA. Eles afirmam que a queda — por conta da cotação baixa do barril de petróleo no mercado internacional — deve perdurar por até o fim do ano.
Em agosto do ano passado, o valor do barril de petróleo chegou a ser comercializado a US$ 115. Já em dezembro, atingiu apenas US$ 45, afetando o repasse dos royalties Foto:  Divulgação Na semana retrasada, o secretário-executivo da Organização dos Municípios Produtores de Petróleo (Ompetro), Marcelo Neves, divulgou planilha com as perdas em participações especiais (PE) de até 60,83%, situação de Casimiro…

Forte retração das receitas de Participação Especial na Rota do Petróleo

Imagem
Os principais municípios produtores de petróleo da Bacia de Campos, registraram uma receita de participação especial, em fevereiro, correspondente ao 4º trimestre de 2014, em torno de R$170,0 milhões. Esse valor é equivalente a 52,59% do valor total das participações especiais distribuído para a totalidade dos municípios do país.  Entretanto, conforme mostrado na tabela acima, observa-se uma forte queda de arrecadação proveniente do último trimestre de 2014, quando comparado ao mesmo trimestre do ano anterior. Para a União Estados e municípios, de forma consolidada, a queda se situou em torno de 26%, já para os principais municípios da Bacia de Campos, a queda foi muito mais acentuada. Cabo Frio contabilizou uma perda de 60% em relação ao mesmo período do ano anterior, Campos recuou 43%, Macaé recuou 40%, Rio das Ostras recuou 51% e São João da Barra contabilizou uma valor menor 28% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.  A transferência de royalties no mês de janeiro deste ano,…

Economia encolhe 0,15% em 2014 e flerta com recessão, mostra BC

Imagem
folha de são pauloPOR DINHEIRO PÚBLICO & CIA12/02/15  08:35 A economia brasileira encolheu em 2014 e iniciou este ano mais próxima de uma recessão, mostram dados do Banco Central.
Divulgado nesta quinta-feira (12), o índice de atividade do BC aponta uma queda de 0,15% no ano passado, no pior desempenho desde 2009. Em outras palavras, o Brasil ficou mais pobre.

Os números definitivos sobre a variação da renda e da produção nacional -ou seja, do PIB (Produto Interno Bruto)- só serão divulgados no próximo mês pelo IBGE. Mas os cálculos do BC já antecipam tendências negativas.
Com o pessimismo disseminado entre consumidores e empresários, a atividade conjunta de indústria, comércio, serviços e agropecuária caiu 0,55% em dezembro e 0,15% no último trimestre do ano passado, na comparação com os períodos imediatamente anteriores.
Isso significa que o primeiro ano do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff começa com a herança de uma economia já em trajetória de declínio.

A retração …

DIVULGAÇÃO

Royalties de janeiro de 2015 na região Norte Fluminense

Imagem
A arrecadação de royalties de petróleo no primeiro mês de 2015, já sinalizou a perspectiva de queda em função da derrubada do preço do barril de petróleo no mercado internacional. São apresentados no gráfico a seguir, para os municípios produtores da região Norte Fluminense, as taxas correspondentes a queda de arrecadação em janeiro de 2015, com relação a dezembro de 2014. Campos dos Goytacazes perdeu 15,3%; Carapebus perdeu 16,24%; Macaé perdeu 13,1%; Quissamã perdeu 20,68% e São João da Barra perdeu 19,3%.  Na comparação com janeiro de 2014, Campos perdeu 24,5%; Carapebus perdeu 21,4%; Macaé perdeu 17,5% e São João da Barra perdeu 18,2%.

Uma boa lição de aprendizagem para as regiões!

Sinais positivas oriundos da crise econômica brasileira. Depois de negar mudanças na orientação econômica em que a prioridade era a manutenção dos gastos sociais, o governo foi ao mercado buscar um profissional com uma visão totalmente contrária a que defendia. As decisões do novo ministro da fazenda tem deixado de "cabelo em pé" a presidente que, naturalmente, tem que engolir. Agora vai ocorrer o mesmo com a Petrobrás. Depois de negar veementemente a saída da presidente Graça Foster da organização, a presidente vai ao mercado buscar um profissional de perfil técnico que tenha a competência e a credibilidade para sanar a empresa. Esses exemplos precisam ser seguidos pelo interior do país, especialmente, na nossa região. A prática de prefeitos se reunirem a todo momento para discutir os graves problemas técnicos que assolam a economia regional, me parece perda de tempo. A solução desses problemas exigem discussões estritamente técnicas. Devemos aprender essa lição!

Comércio Exterior com Açúcar e Minério de Ferro

Os negócios com a commodity Açúcar em Bruto em janeiro somaram US$614,7 milhões, equivalente a 1.747,9 (1.000 toneladas) a um preço médio de US$351,7 (US$/Ton). Comparativamente a janeiro de 2014, ocorreu uma queda de 12,8% na receita, uma queda de 3,1% no volume embarcado e uma queda de 10,0% no preço.
No caso da commodity Minério de Ferro, as exportações no mês somaram US$1.196,7 milhões, equivalente a 23.302,2 (1.000 toneladas) a um preço de US$51,4 (US$/Ton). Comparativamente a janeiro de 2014, ocorreu uma queda de 51,8% na receita, uma queda de 5,7% no volume embarcado e uma queda de 48,9% no preço.

Exportações por blocos econômicos em janeiro de 2015

Imagem
As exportações brasileiras, por blocos econômicos no primeiro mês de 2015, apresentaram uma retração de 14,5% em relação a janeiro de 2014. A maior desaceleração relativa ocorreu com a Europa Oriental, ou seja, -35,68%, seguido pela América Latina -21,64% e Oriente Médio -20,20%. Avanço só ocorreu no comércio com a África em 6,82% no período avaliado. Outro dado que chama a atenção é o não aproveitamento da recuperação americana pelo Brasil. As exportações desaceleraram 7,41% em janeiro de 2015 com relação a janeiro de 2014. O gráfico apresenta a participação dos blocos econômicos nas exportações do Brasil. A Ásia mantém a liderança com 28,6% porém é importante observar que esta participação é menor do que a participação de 29,2% de janeiro de 2014. A seguir, a América Latina com uma participação de 19,2% também inferior a participação de 21,7% em janeiro do ano passado. A União Européia teve uma participação de 19,7% e os Estados Unidos uma participação de 13,3%. Os outros blocos part…

Fechamento do comércio exterior em janeiro de 2015

O fechamento do comércio exterior do mês de janeiro entre Brasil e o resto do mundo, manteve as expectativas não tão favoráveis em relação ao ano de 2015.  As exportações somaram US$13.704 milhões, valor inferior 14,5% em relação ao valor de janeiro de 2014. Já as importações somaram US$16.878 milhões, valor inferior 16,0% em relação ao valor de janeiro de 2014. O saldo foi deficitário no primeiro mês do ano de 2015 em US$3.174 milhões.

DIVULGAÇÃO

Imagem