"Fazendo cortesia com o chapéu dos outros!"

No centro do forte desequilíbrio das contas públicas do governo federal, onde a margem para reduzir despesas de forma direta é pequena, segundo a sua orientação política, surge a estratégia de transferir o ônus relativo aos benefícios do FAT e da Previdência (abono salarial, seguro desemprego, seguro defeso, auxilio doença e pensões), para quem, efetivamente, gera os recursos dos devidos programas, ou seja, tralhadores e empregadores. Isso quer dizer: o governo vai poupar 18 bilhões por ano para continuar gastando mal o orçamento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação