Divulgação

Redescobrindo o mundo da pintura

Artista Plástica, Márcia Coutinho, abre exposição nesta sexta-feira (21), com telas e peças da sua vida na arte.
Imprimir
A+   A-
  • Redescobrindo o mundo da pintura
    Crédito: José Luiz Melo
  • Redescobrindo o mundo da pintura
    Crédito: José Luiz Melo
Imagem 1 de 2

Crédito: José Luiz Melo
Gil Miranda
gil.miranda@quotidiano.com.br

Uma viagem ao passado, com destaque no presente e uma mostra suntuosa do futuro... Cada pigmento de tinta, seja nas telas ou mesmo na superfície da vida, evidencia os matizes, tons e as texturas da artista plástica Márcia Coutinho em sua nova exposição ‘Redescobrindo’, que será inaugurada nesta sexta-feira, 21, às 20 h, no Palácio Cultural Carlos Martins.
A música Redescobrir, cantada por Elis Regina trazia: “Memória! Jogo do trabalho na dança das mãos/ Macias! O suor dos corpos, na canção da vida/ Histórias! O suor da vida no calor de irmãos/ Magia!” E são com histórias, memória e magia, que Márcia expõe suas obras de três tempos distintos. Uma mistura de passado e presente, com quadros adquiridos por admiradores e amigos, e inovações com peças diferentes e telas inéditas.
Sua vida na arte sempre foi inspirada no grande pintor russo Wassily Kandinsky, que com a necessidade interior de expressar as suas percepções emocionais o levam ao desenvolvimento de um estilo de pintura abstrato, baseado em propriedades não representativas de cor e forma – a abstração lírica. Assim, com essas características, a artista plástica inicia, há 17 anos com sua primeira aquarela de arte não figurativa, levando-a a busca pictórica em torno da procura do próprio conteúdo da arte, da sua essência, da sua alma.
Suas obras trazem uma realidade própria, expondo suas faces e percepções particulares. As referências ao mundo exterior são, deliberadamente, inexistentes. Mais do que uma pintora, ela teoriza sobre a pintura e sobre as suas sensações. Para Márcia, o objetivo da pintura é, precisamente, “encontrar a vida, tornar perceptíveis as suas pulsações e estabelecer as leis que as regem”.
A artista plástica rascunhou a exposição em 2011 e marca seu retorno ao seu berço natal, a cidade de São João da Barra. A exposição é apresentada em três frentes. Na primeira sala, o público pode apreciar diferentes manifestações de arte contemporânea, com telas produzidas e comercializadas por colecionadores e amigos. Já no segundo momento, são utilizadas projeções audiovisuais, mostrando os trabalhos para o futuro e que no presente já estão sendo produzidos. E por fim, na terceira e última sala, são expostos os primeiros trabalhos de pintura com uso de materiais reciclados, pensando e transmitindo o futuro de uma forma sustentável. “É redescobrir o mundo da pintura”, ressalta Márcia Coutinho.
“Em uma das salas fico um pouco comovida, pois revejo telas que fiz há algum tempo, é um sentimento de felicidade e tristeza, por não tê-las mais comigo, porém estão com pessoas que me admiram. A exposição possibilita uma nova oportunidade de ver minhas telas, assim como as obras da minha nova fase na arte. Adoro a possibilidade de ver meus amigos felizes quando admiram minha arte.”, destacou.
O movimento geral da composição é ritmado por círculos, ovais, triângulos, riscas, pintas; ascendentes, descendentes, rotativos. As cores vivas provocam sensações, emoções; aliadas às formas, criam uma harmonia que age e que conquista. A exposição conta com mais de 30 telas e ficará aberta para visitação até o dia 28 de novembro no 2º pavimento do Palácio Cultural.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra

As medidas do governo do estado e suas contradições