Minério de ferro fica abaixo de US$ 80 por tonelada pela 1ª vez em 5 anos



DA REUTERS
22/09/2014  10h50
O minério de ferro com entrega imediata na China caiu abaixo de US$ 80 por tonelada nesta segunda-feira (22) pela primeira vez em cinco anos.
Ao mesmo tempo, os contratos futuros do aço e do próprio minério recuaram 4% nas bolsas asiáticas, para mínimas históricas, pressionados por preocupações sobre o excedente de oferta em um momento de crescimento mais lento na demanda chinesa.
O país é o maior consumidor mundial das duas commodities.
Perdas também foram registradas no mercado de petróleo e cobre, com os mercados de matérias-primas na China em baixa em meio a temores de que uma pesquisa a ser divulgada nesta terça-feira (23) possa trazer novas evidências de uma desaceleração da indústria da segunda maior economia do planeta.
Uma oferta abundante já fez os preços do minério de ferro recuarem 40% neste ano. Na sexta-feira (19) eles fecharam a sexta semana consecutiva de perdas.
QUEDA
O minério com teor de 62% de ferro, referência para a indústria, caiu 2,3% nesta segunda, para US$ 79,80 por tonelada, menor cotação desde meados de meados de setembro de 2009, segundo o Steel Index.
O minério de ferro com vencimento janeiro na bolsa de Dalian, na China, caiu 4%, fechando a 556 iuanes (US$ 91) por tonelada, menor nível desde que a bolsa lançou futuros de minério de ferro em outubro do ano passado.
Já o contrato mais negociado do vergalhão de aço na bolsa de Xangai também recuou 4%, para 2.619 iuanes por tonelada, menor patamar para o contrato mais ativo desde o lançamento do produto na bolsa em 2009.
"Fundamentalmente, tanto o mercado de minério de ferro quanto o de aço estão abastecidos demais e não vejo nenhuma sustentação para os preços neste momento", disse um operador de minério em Xangai.
Em nota a clientes, analistas do Australia and New Zealand Banking Group assinalaram que "siderúrgicas chinesas estão oferecendo a venda de cargas de longo prazo de minério de ferro no mercado à vista, o que exacerbou ainda mais o problema de excedente de oferta no curto prazo".

"A queda do preço do minério já é observada nos últimos dois anos, o que representa um problema para o projeto do porto do Açu, no curto prazo. A preocupação em relação desaceleração da economia chinesa aprofunda o problema".

Comentários

  1. Com certeza. Vamos aguardar o PMI Chinês para ter mais dados sobre a gravidade da situação. Está ocorrendo o ajuste entre oferta e demanda. Com o preço mais baixo, somente as grandes empresas suportarão. Vamos ver até nossa dependência vai nos levar.

    ResponderExcluir
  2. É verdade, o Brasil precisa aproveitar o quadro de melhora da economia americana. O comércio com a Argentina minguo e a concentração dos negócios na Ásia é problemática.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra