Salários baixos e crédito restritivo aniquila comércio

O jornal Folha da Manhã, deste domingo, publicou matéria sobre a falta de dinheiro em Campos dos Goytacazes. Os comerciantes reclamam dos poucos negócios e culpam o atraso na transferência dos royalties de petróleo.


Quero lembrar as nossas discussões anteriores sobre a fragilidade do comércio na região Norte Fluminense, fundamentalmente, em Campos, Macaé e São João da Barra. Já identificamos a tempo que a renda média do trabalho em Campos é baixa, atingindo 2,5 salários mínimos mensais. Faltam negócios industriais capazes de articular cadeias produtivas de maior valor agregado e, consequentemente, salários maiores. A massa salarial no municípios concentra 35% na administração pública e 34% em serviços de baixo valor. Por outro lado o quadro é de forte endividamento das famílias, encarecimento e restrição do crédito, condições que inibem a atividade comercial. Portanto, nesse momento, o atraso na transferência de royalties não tem influencia na depressão do comércio local.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra

As medidas do governo do estado e suas contradições