O peso do agronegócio brasileiro

01/08/2014 às 20h10
Agronegócio contribui com 44,4% da balança comercial, diz CNA

Por Fernanda Pressinott | Valor

SÃO PAULO  -  A exportação do agronegócio brasileiro somou US$ 49,6 bilhões no primeiro semestre deste ano, uma queda de 0,92% em relação ao mesmo período de 2013. A importação foi de US$ 8,8 bilhões (aumento de 0,2%), resultando em superávit de US$ 40,8 bilhões no período. Os dados fazem parte do boletim do Agronegócio Internacional, elaborado pela Superintendência de Relações Internacionais da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a partir de dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), e divulgado hoje.
De acordo com o boletim, o agronegócio contribuiu com 44,4% da resultado da balança comercial do país no primeiro semestre.
O desempenho do setor, diz a CNA, contrasta com o resultado negativo da balança comercial do país, que teve déficit de US$ 3 bilhões no acumulado de 2014. As exportações totais somaram US$ 110,5 bilhões e as importações, US$ 113 bilhões.
A soja em grão, carro-chefe do agronegócio brasileiro, respondeu por 14,8% do total das exportações brasileiras no acumulado do ano. As vendas renderam US$ 16,1 bilhões. O principal destino dos embarques de soja foi a China, que importou US$ 12,2 bilhões do Brasil, um aumento de 9,4% em valor e de 14,5% em volume.
Também foram destaque na exportação a carne bovina (US$ 2,7 bilhões) café em grão (US$ 2,6 bilhões) e celulose (US$ 2,6 bilhões).

De acordo com os dados comerciais de 2014, a Rússia passou a ser o quarto destino das exportações brasileiras do agronegócio. Até o ano passado, o país ocupava o sexto lugar. Nos seis primeiros meses do ano, os principais produtos exportados para Moscou foram: complexos carnes (US$ 989,7 milhões), sucroalcooleiro (US$ 244,4 milhões) e soja (US$ 196 milhões).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra