Postagens

Mostrando postagens de Março, 2014

O que os números do PIB mostram sobre a região Norte Fluminense?

Imagem
Avaliando mais detidamente os  valores do Produto Interno Bruto (PIB), na região Norte Fluminense, nos anos de 2009 e 2001, chamou a atenção a perda de participação do PIB do setor agropecuário em quase todos os municípios. Conforme apresentado no gráfico, somente Cardoso Moreira cresceu a participação no setor em relação ao PIB total, saindo de 7,81% em 2009 para 11,13% em 2011.  
Enquanto a agropecuária perdeu participação, o setor industrial cresceu, principalmente, nos municípios produtores de petróleo. Campos dos Goytacazes saiu de  72,79% em 2009 para 76,95% em 2011, Macaé de 35,27% para 41,64% e São João da Barra de 84,15% para 88,25%, no mesmo período.
Poderíamos imaginar que essa mudança é positiva, já que o aumento da participação na industria, sem dúvida, é mais atrativo do que o aumento da participação na agropecuária, porém não é esse o caso. Como sabemos, esse crescimento é impulsionado pelo petróleo, cujas atividades ocorrem no mar e os município produtores, com exceção…

Presidente do BID cobra reformas no Brasil

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,brasil-precisa-fazer-reformas-diz-presidente-do-bid,180705,0.htm

A visão do presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento sobre os problemas da economia brasileira me parece bem coerente. A crise financeira americana de 2008 e seus desdobramentos na fragilização da economia europeia nos anos que se seguiram, tem um papel importante na explicação dos desequilíbrios da economia brasileira, porém não explicam integralmente. Esforços internos na promoção das reformas estruturais na economia e na capacidade produtiva e na infra estrutura social, especialmente, na educação são essenciais para garantir a aceleração do crescimento econômico e uma melhor distribuição na sociedade.

Aumentou o risco nas operações financeiras com o Brasil

A agencia Standard & Poor`s depois de rebaixar a nota dos títulos da dívida pública brasileira da Petrobrás, Eletrobras e Samarco, rebaixou a nota de bancos e companhias de seguros. Técnicos do governo fazem criticas pela elevação do risco imposto ao país, já que que existem sólidos fundamentos.   Nessa discussão me parece que a agencia é quem tem razão. O crescimento médio do PIB no período de 2004 a 2008 foi de 4,8% ao ano. No período seguinte de 2009 a 2013, o crescimento médio caiu para 2,6% ao ano e em janeiro de 2014 o levantamento prévio do Banco Central indicou um crescimento de 1,26% em relação ao mês anterior. As expectativas para os próximos anos não são animadoras. O indicador de comércio exterior mostra para o período de 2003 a 2007 um saldo da balança comercial crescente, impulsionado pelas exportações. No período de 2008 a 2013, o saldo declinou pressionado pelas importações. No primeiro bimestre de 2014 o saldo da balança comercial ficou negativo em US$ -6,1 bilhões. …

Uma contribuição ao debate econômico regional

O debate envolvendo a economia da região Norte Fluminense parece chegar a algumas conclusões de consenso que são incompletas. Pude verificar tal fato durante a sessão do Parlamento Regional, nesta segunda feira, na Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes. Explorando o tema "qualificação da mão de obra", representantes de importantes instituições apresentaram uma visão onde a dinâmica econômica regional é dependente dos investimentos exógenos (de fora para dentro). Com isso, ratifica-sea tendência do modelo único e não se observa as marcantes diferenças comuns aos ambientes.
O discurso é conhecido, ou seja, a região Norte Fluminense vem recebendo investimentos privados importantes, fundamentalmente, nas áreas de petróleo e infraestrutura portuária. As vagas de emprego ofertadas exigem habilidades específicas que não constam do "cardápio" regional, já que as atividades predominantes são de outra natureza. Neste caso, a corrida é no sentido de capacitar a mão de obra…

Execução orçamentária no Governo do Estado do Rio de Janeiro em 2013

Imagem
A execução orçamentário no Governo do Estado do Rio de Janeiro em 2013, indicou uma realização da receita corrente da ordem de R$58,0 bilhões equivalentes a 93,6% do valor previsto para o mesmo ano. As receitas tributárias realizadas somaram R$35,6 bilhões ou 89,7% do valor previsto e as transferências constitucionais somaram R$5,4 bilhões ou 81,6% da previsão anual. As despesas correntes liquidadas somaram R$58,0 bilhões, equivalentes a 88,6% do valor previsto, as despesas com pessoal e encargos somaram R$18,5 bilhões ou 98,3% da previsão e a despesa com investimento liquidada somou R$6,6 bilhões ou 49,7% da previsão.  A proporção das receitas tributárias realizadas em relação as receitas correntes realizadas atingiu 61,5%, os salários e encargos liquidados 32,0%  e o investimento liquidado 11,5%. 
Observa-se que o governo apresentou dificuldades na alocação dos recursos destinados a investimento, já que liquidou somente R$6,6 bilhões dos R$13,4 bilhões previstos para o presente ano.

As distorções do mercado mundial de açúcar

Jornal Valor Econômico





GENEBRA  -   Sob pressão do Brasil e outros produtores de açúcar, a Índia respondeu hoje, em reunião na Organização Mundial do Comércio (OMC), que os novos subsídios para exportação da commodity não vão passar de US$ 80 milhões.
Os indianos insistiram que, apesar de o programa de subsídios ter sido aprovado pelo governo, os pagamentos ainda não foram efetuados. E que a medida visa diversificar suas vendas de açúcar. A resposta inquietou ainda mais parceiros como a Austrália, que notaram que a ajuda de 3.300 rupias por tonelada exportada equivale a algo como 14% a 16% do preço mundial do açúcar e, a Índia, como terceiro exportador da commodity, distorce os preços do mercado internacional. O Valor apurou que, durante o Comitê de Agricultura da OMC, a delegação da India foi pesadamente questionada, tanto pelo Brasil, Austrália, União Europeia e Colômbia, como pelos EUA, Paquistão, Canadá, Tailândia, Paraguai, El Salvador e Nova Zelândia. A demanda geral foi para a Índia …

Execução orçamentária no município de São Fidélis em 2013

Imagem
A execução orçamentária no município de São Fidélis em 2013 apresentou um déficit de 0,98%, considerando as receitas orçamentárias realizadas e as despesas orçamentárias executadas. As receitas correntes realizadas no ano somaram R$71,6 milhões equivalentes a 116,6% do valor previsto. As receitas tributárias somaram R$4,3 milhões equivalentes a 146,9% do valor previsto, enquanto as transferências constitucionais somaram R$61,7 milhões ou 115,1% do valor previsto no mesmo ano.
No grupo das despesas, as correntes liquidadas somaram R$67,1 milhões ou 93,6% do valor previsto, as despesas com pessoal e encargos somaram R$40,6  ou 95% do valor previsto, enquanto o investimento liquidado somou R$2,4 milhões ou 81% do valor previsto para o mesmo ano.

Comparativamente as receitas correntes, as receitas tributárias representaram 5,98%, as despesas com pessoal e encargos representaram 56,63% e as despesas com investimento 3,33% no mesmo ano.

Economia da Inovação e Desenvolvimento

O debate sobre o processo de desenvolvimento ancorado na inovação ou na economia do conhecimento, cujo motor alimentador é o capital de risco, parece seguir os contornos da visão amparada nos paradigmas anteriores, ou seja, comercial e industrial. Tais funções, orientadas para um escopo global, poderiam garantir desenvolvimento para as nações, assim como, modernamente, creditam tal fato à função de serviços. Até que ponto as condições praticas de vida no interior das diferentes sociedades seguem essas trajetórias tão bem concatenadas? Parece que as coisa não caminham dessa maneira e a desigualdade social no planeta comprova tal fato.
Há de considerar para o prolongamento do ciclo da economia da inovação um mercado global dinâmico, no que diz respeito, a renda disponível para a aquisição dos bens inovativos, além da oferta continuada de crédito de risco para que novos negócios passam ser implementados. Se as economias tradicionais não alcançarem uma condição favorável a geração de trab…

Emprego formal em fevereiro na região Norte Fluminense

Imagem
Apesar dos resultados positivos do emprego formal em fevereiro no Brasil, no Estado do Rio e na região Norte Fluminense, os saldos acumulados no ano continuam negativados. Brasil -58,7 mil empregos, Estado do Rio de Janeiro -18,5 mil empregos e região Norte Fluminense -154 empregos. A tabela apresenta os resultados da região. São João da Barra lidera com um saldo acumulado de 207 emprego, seguido por Campos dos Goytacazes com um saldo de 60 empregos. Macaé tem um saldo de -466 empregos acumulados no ano.  Em Campos dos Goytacazes, o setor de construção civil gerou 401 vagas de emprego este ano, enquanto o comércio negativou 400 vagas. O saldo no setor de serviços é de -39 vagas e no setor agropecuário o saldo é de 60 vagas. Em Macaé, a indústria de transformação destruiu 100 vagas, o comércio destruiu 188 vagas e o setor se serviços destruiu 153 vagas. A construção civil gerou saldo positivo de 51 vagas e o setor agropecuário 12 vagas. Em São João da Barra, a construção civil gerou saldo …

Execução orçamentária em São João da Barra em 2013

Imagem
São João da Barra fecha o ano fiscal de 2013 com déficit orçamentário de R$9,1 milhões ou -2,5%, considerando o regime de competência, ou seja receitas realizadas e despesas executadas ou empenhadas. As receitas correntes realizadas somaram R$364,3 milhões ou 88,54% do valor previsto para o ano. As receitas tributárias somaram R$43,3 milhões ou 173,01% do valor previsto. A construção do porto do Açu teve um papel importante no aumento do Imposto sobre Serviços (ISS). As transferência constitucionais continuam um pilar importante da estrutura orçamentária, o valor realizado chegou a R$299,1 milhões ou 81,18% do valor previsto. No grupo das despesas, as correntes liquidadas somaram R$340,6 milhões, enquanto as empenhadas somaram R$373,4 milhões, cuja diferença das liquidadas serão restos a pagar em 2014. As despesas liquidadas de pessoal e encargos somaram R$173,9 milhões, as despesas de capital R$10,2 milhões e as de investimento R$9,0 milhões. Proporcionalmente as receitas correntes reali…

Educação e desenvolvimento

http://www.valor.com.br/brasil/3477654/para-premio-nobel-educacao-de-qualidade-reduz-desigualdades

O debate sobre o tema educação precisa evoluir. Os discursos sobre a sua importância no contexto do desenvolvimento socioeconômico, normalmente não se materializam em ações efetivas, enquanto que os altos volumes de recursos financeiros aplicados também não retornam na mesma proporção do esforço. O resultado é o grande paradoxo verificado em espaços territoriais que, apesar da absorção de investimentos importantes nas esferas pública e privada, sofrem com o avanço da pobreza e da miséria. Claramente no centro dessa constatação está a baixa ou inexistente qualificação do individuo para o mundo moderno do trabalho. Um fato com característica de de amortecimento observado é alto grau de absorção de grande contingente no serviço público improdutivo, condição que avança dando uma sensação de certa estabilidade. Na verdade ocorre o adiamento da solução do problema e a desigualdade evolui numa g…

Os riscos da dependência comercial nos negócios com commodities

Imagem
A dependência do comércio externo baseado em negócios com commodities representa um importante gargalo para a economia brasileira. Os preços médios desses produtos vem declinando, juntamente com a capacidade de importação do bloco asiático, principal parceiro do país.
Especialmente os negócios com açúcar bruto, commodity importante para a região sudeste, a queda nos preços é acentuada, conforme mostra o gráfico. Em fevereiro o preço praticado caiu 1,8% em relação a janeiro, ficou menor 19,2% em relação a fevereiro de 2013 e menor 33,1% em relação a fevereiro de 2012.
O mercado mundial tem dado sinais de acumulo de oferta que deve se ampliar com a maior agressividade da Índia. O país vai incentivar a exportação de açúcar a partir de subsídios, o que afetará, substancialmente, o Brasil já deprimido pela política energética do Governo Federal, dentre outro problemas.
A estratégia de combate a inflação pelo uso do controle do preço da gasolina, dentre outros elementos, descontinuou o proces…

O setor sucroenergético no Estado do Rio de Janeiro

Exportação de minério de ferro brasileiro em fevereiro de 2014

Imagem
A exportação de minério de ferro em fevereiro apresentou queda de 8,4% no volume embarcado, queda de 11,7% na receita dólar e queda de 3,6% no preço em tonelada. Na comparação com fevereiro de 2013, foi observado um crescimento de 9,5% no volume embarcado, crescimento de 3,1% na receita em dólar e queda de 5,8% no preço em tonelada.  A China é o principal parceira no comércio dessa commoditie e preocupou o mercado com o recuo de 18% de suas exportações e, consequente, déficit de US$23 bilhões na Balança Comercial. O gráfico apresenta a trajetória do preço praticado nos anos de 2012, 2013 e em janeiro e fevereiro de 2014.

Exportação de Açúcar em Bruto no comércio exterior

Imagem
A exportação de açúcar em bruto brasileira continua em queda. O volume embarcado em tonelada ficou menor 18,47% em fevereiro, com base em janeiro e maior 21,4% em relação ao volume embarcado em fevereiro de 2013. A receita em US$ caiu 19,9% em fevereiro, com base em janeiro e ficou menor 1,9% em relação a fevereiro de 2013. Quanto ao preço médio de negociação da commoditie, em fevereiro deste ano caiu 1,8% em relação a janeiro e em relação a fevereiro de 2013 a queda chegou 19,2%. 
O gráfico apresenta a trajetória dos preços praticados na comercialização da commoditie. Observa-se uma tendencia de queda continua no preço nos anos de 2012 e 2013, fato que se repete nos primeiro meses de 2014.

A derrocada da OGX

Exportações brasileiras por blocos econômicos no bimestre janeiro-fevereiro de 2014

Imagem
Mais um resultado negativo no comércio exterior do Brasil. Fevereiro registrou déficit comercial de US$2.125 milhões, relativo a exportação de US$15.934 milhões e importação de US$18.054. O saldo acumulado em 2014 foi deficitário em US$6.183 milhões.  A tabela apresenta as exportações brasileiras por blocos econômicos. O resultado no bimestre janeiro e fevereiro de 2014 caiu 1,41% em relação ao mesmo bimestre de 2013. Nesse período as exportações cresceram 15,95% com a Ásia e 12,78% com os Estados Unidos. Os outros blocos apresentaram resultados negativos na comparação ao mesmo período do ano passado.   O gráfico apresenta a participação percentual dos blocos econômicos nas exportações brasileiras no bimestre janeiro-fevereiro de 2014. A Ásia continua liderando com 31,03%, seguido pelo bloco da America latina e Caribe com 21,35% e União Europeia com 18,50%.

Divulgação

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SOCIEDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA LABORATÓRIO DE PESQUISA E DOCUMENTAÇÃO EM HISTÓRIA ECONÔMICA E SOCIAL - LAPEDHE
Caros Jornalistas e Blogueiros, Solicitamos a gentileza de divulgar os eventos que serão realizados pelo Laboratório de Pesquisa e Documentação em História Econômica e Social (LAPEDHE) do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense em Campos dos Goytacazes. Palestra com o Prof. Dr. Manolo Garcia Florentino (UFRJ e FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA) Tema: “SOBRE NEGROS E MUÇULMANOS NO RIO DE JANEIRO OITOCENTISTA” Data: 12 de março de 2014  - Horário: 19 horas Local: Auditório do Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional da Universidade Federal Fluminense/Campos dos Goytacazes                                               Bloco C – CARTAZ DE DIVULGAÇÃO ANEXO.
I SEMINÁRIO DE PESQUISA EM HISTÓRIA ECONÔMICA E DEMOGRÁFICA DO LAPEDHE Data: de 17 a 19 de março de 2014. Local: In…

Projeto de Extensão da UENF em SJB