Pessoal ocupado na região Norte Fluminense em 2012

O emprego com carteira assinada na região Norte Fluminense depois de crescer 9,1% em 2011, com base em 2010, saindo de 228,5 mil trabalhadores ocupados em 31 de dezembro de 2010 para 249,4 mil trabalhadores no mesmo período de 2011, sofreu uma desaceleração no ano seguinte. Foi contabilizado um leve crescimento de 0,57% no fechamento de 2012, com base em 2011. O gráfico apresenta a participação percentual do emprego formal, segundo os municípios da região.

Macaé concentra o maior percentual de pessoal ocupado com 53% do total, seguido por Campos dos Goytacazes com 37% e São João da Barra com 3%. Os outros municípios tem participação inferior.

Em relação a renda média do trabalho, medida em salário mínimo, o quadro se repete. Crescimento em 2011 com base em 2010 e queda em 2012, com exceção de São João da Barra que viu crescer, em termos reais, a renda do trabalho em 22,7% neste ano, em relação a 2011. As atividades de construção civil e indústria de transformação, na retroárea do porto do Açu, foram responsáveis por esses crescimento. 

Os outros municípios registraram queda na renda média em salário mínimo em 2012, com base em 2011. Macaé apresentou a maior queda de 22,2%, seguido por São Fidélis com queda de 21,1% e São Francisco de Itabapoana com queda de 20,0%. Campos dos Goytacazes registrou queda de 16%, Cardoso Moreira e Conceição de Macabu sofreram queda de 10,5%, Quissamã queda de 10,3% e Carapebus queda de 4,7% no período analisado.


A presente análise corrobora com a permanente preocupação em relação a economia da região. verifica-se que os investimentos importantes nas áreas de petróleo e infraestrutura portuária tem criado ocupações com qualificação muito superior ao padrão da mão de obra regional. Tal quadro facilita a fuga de riqueza e mantém a economia doméstica sem a dinâmica esperada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como um discurso descuidado induz a erros grosseiros!

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra