As contradições da riqueza vista pelo olhar do Produto Interno Bruto-PIB

O conceito de Produto Interno Bruto-PIB, formulado com o objetivo de medir riqueza na década de quarenta, representa a soma, em termos monetários, de todos os bens e serviços finais, produzidos durante um determinado período de tempo em uma região (país, estados e municípios). Apesar de sua relação com riqueza, deve-se ter muita cautela com a sua avaliação, já que em alguns casos a forte concentração em uma parcela menor da população, acaba escondendo o problema da pobreza e da exclusão social.

Outra questão importante é o superdimensionamento de seu valor, como ocorre no caso dos municípios produtores de petróleo. Neste caso, o setor industrial contabiliza robustos valores monetários oriundos da atividade desenvolvida em alto mar, que na realidade não interfere no dia-a-dia da economia, a não ser pela compensação dos royalties e das participações especiais pela produção.

Esta é a realidade da rota do petróleo brasileira, onde municípios como Presidente Kennedy (ES), Campos dos Goytacazes, Quissamã, e São João da Barra (RJ), especialmente, apresentam valores de PIB per capita não compatíveis com a dinâmica do sistema econômico.

O gráfico acima apresenta os valores de PIB per capita para países da Europa, Brasil e os principais municípios da região Norte Fluminense.

Observe que Presidente Kennedy apresenta um PIB per capita maior quase três vezes do PIB per capita de Luxemburgo, que é o maior da Europa. Na comparação com o PIB per capita do Brasil, o mesmo município capixaba supera em 18 vezes. O mesmo município também supera largamente países importantes da Europa com: Noruega, Suíça, Suécia, Alemanha, Finlândia, França, Itália, etc. Como visto, uma situação no mínimo  esdrúxula.

Ainda fortalecendo a presente tese, este município, que podemos classificar de mais "rico do mundo", segundo a metodologia do PIB per capita, apresenta uma estrutura econômica bastante medíocre. Gerou 105 empregos em 2011, sendo: 15 na indústria de transformação, 25 na construção civil, 34 no comércio, 23 na atividade de serviços e 5 no setor agropecuário. O valor das receitas correntes neste ano somou R$227,2 milhões, sendo R$4,4 milhões de receitas próprias ou o equivalente a 2% das Receitas Correntes. As transferência correntes somaram R$209,0 milhões, sendo R$184,2 milhões correspondentes a royalties de petróleo. Este município investiu somente R$12,1 milhões em 2011, ou o equivalente a 5,3% das receitas correntes.


Informações adicionais como uma estrutura de trabalhadores correspondente a 2040 empregados, sendo 1380 alocados no serviço público e uma renda média mensal do trabalho de 2,4 salários mínimos neste mesmo ano, corroboram com a nossa critica ao PIB como indicador de riqueza e bem estar social. Definitivamente esses sistemas econômicos não avançaram, segundo o indicador do PIB per capita.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra