Análise do emprego no setor sucroalcooleiro em Campos dos Goytacazes

Diferente da visão de alguns observadores, o setor sucroalcooleiro em Campos dos Goytacazes, mesmo em decadência, exerce um papel fundamental na geração de emprego formal. Na presente investigação sobre os anos de 2007, 2012 e 2013, com base nos dados do Ministério do Trabalho, podemos observar que nos primeiros três meses de cada ano o nível de emprego é fraco, considerando a estrutura econômica do município. No primeiro trimestre de 2007, o saldo de emprego somou 97 novas vagas, representando 25,8% das 376 vagas criadas  em todos os setores no mesmo período. No primeiro trimestre de 2012, foi contabilizado um saldo de emprego de 169 vagas no setor, representando 38,32% das 441 vagas criadas em todos os setores no mesmo período, enquanto que no primeiro trimestre de 2013 foram criadas 26 novas vagas, representando 26,8% das 97 novas vagas criadas em todos os setores no mesmo período.

Importante observar que no período analisado a atividade não está em plena atividade, fato observado, segundo o gráfico, no mês de maio. No mês de abril, entretanto, observa-se já algumas movimentações iniciando a evolução lenta do saldo de emprego no setor. No ano de 2007, o setor gerou 97 novas vagas em abril, enquanto que o saldo total foi negativo em 4.484. Em abril de 2012, o setor gerou 236 vagas ou 97,12% das 243 vagas geradas em todos os setores e em abril de 2013, o setor gerou 118 novas vagas, ou 20,07% das 588 vagas geradas em todos os setores.

Na avaliação da partida efetiva, no mês de maio, podemos verificar que a economia sente positivamente a força do setor. Observe que em maio de 2007 foram geradas 2.708 novas vagas de emprego no setor, representando 74,93% das 3.614 novas vagas em todos os setores. Em maio de 2012, foram geradas 1.100 novas vagas, representando  142,3% do total de vagas em todos os setores e no mesmo mês de 2013 foram geradas 1.096 novas no setor, ou 76,97% das 1.424 novas vagas criadas na totalidade.


Devemos considerar ainda os reflexos positivos deste setor nos setores industrial, de serviços e comercio, já que o mesmo opera em cadeia, o que lhe possibilita tal representatividade. De certo, uma região não pode prescindir da atividade de transformação, o que nos leva a crer que estratégias de organização e gestão devem ser pensadas para fortalecer o setor de forma que o processo de geração de emprego não seja sazonal e declinante.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como um discurso descuidado induz a erros grosseiros!

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra