Estudo da dinâmica estrutural-diferencial da microrregião do Vale do Paraíba Fluminense (RJ) no período de 2007 a 2012

     * Alcimar Chagas, Jéssica Faez, Jéssica Barroso e Thays Lacerda 
Universidade Estadual do Norte Fluminense - UENF

O Projeto de iniciação científica do Laboratório de Engenharia de Produção da UENF, premiado no V CONFIC (Congresso de Iniciação Científica e Tecnológica), discutiu a dinâmica do emprego na microrregião do Vale do Paraíba.  A partir da utilização do método estrutural-diferencial (shift-share), o saldo de emprego por setor de atividade foi desagregado a nível de município para a microrregião indicada.

Na avaliação integral do período, foi registrado um forte declínio de 68,83% em 2012, com base em 2007. Apesar da queda observada, os setores de administração pública e comércio apresentaram taxas de crescimento no período. A administração pública se recuperou do saldo negativo de 2007, enquanto que o setor de comércio apresentou um crescimento de 25% no período analisado. A representação percentual dos saldos setoriais no emprego total em 2012 acentuou o setor de serviços com 56,99% e o comércio com 72,54%.

O gráfico abaixo apresenta a trajetória do saldo de emprego por setor de atividade na microrregião.


Segundo o conceito de vantagem competitiva especializada, taxa de crescimento setorial superior ao Estado, os setores mais dinâmicos dessa microrregião foram a Indústria de Transformação e os Serviços Industriais de Utilidade Pública. 

Os municípios em destaque no setor de indústria de transformação foram: Barra Mansa, Itatiaia, Quatis, Rio Claro e Volta Redonda, que apresentaram resultados bem positivos, apesar da crise da indústria no País e seus reflexos no Estado do Rio de Janeiro.

No setor de serviços indústria de utilidade pública, os municípios em destaque foram: Itatiaia, Pinheiral, Pirai, Porto Real e Resende. O crescimento neste setor está relacionado a demanda gerada por serviços público de concessão do Estado, em função do crescimento desses municípios.

Pelo exposto, fica evidente a importância da atividade industrial para o desenvolvimento local regional, já que a mesma potencializa outras atividades importantes e necessárias a estruturação das cadeias produtivas. As limitações econômica da microrregião Campos estão baseadas, exatamente, na ausência de sistemas industriais includentes de mão de obra e geradores de rendimento crescente.


Comentários

  1. Parabéns pelo blog, ótimo trabalho e muito bem estruturado. Att www.Empilhashop.com.br (empilhadeiras usadas)

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado, o comentário nos anima a melhorar cada vez mais o nosso trabalho. Abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como um discurso descuidado induz a erros grosseiros!

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra