O papel do sistema financeiro no processo de crescimento econômico: o caso da região Noroeste Fluminense


Buscando relacionar a dinâmica econômica municipal com a oferta de crédito bancário, a aluna do LEPROD/UENF Natália Rodrigues da Costa, orientada pelo professor Alcimar Chagas, analisou os municípios da região Noroeste Fluminense, de forma a verificar o papel da moeda endógena no crescimento econômico. Além do postulado keynesiano de preferência pela liquidez, a pesquisadora utilizou o método shift-share como elemento de decomposição da trajetória local em relação á trajetória regional. O objetivo foi verificar, através dos resultados, se o nível de crescimento das modalidades de crédito influenciou, de forma efetiva, o crescimento econômico setorial, confirmando o principio teórico.

A análise foi realizada nos períodos 2001 a 2003 / 2003 a 2005 / 2005 a 2007 e 2007 a 2009, para os setores agropecuário, industrial e de serviços. A síntese dos resultados indicou que o setor agropecuário apresentou uma melhor dinâmica no primeiro período, onde os municípios cresceram num padrão acima dos 25% de crescimento da região, com exceção de Aperibé, Cambuci e Itaocara. Neste mesmo período o crédito agrícola nos municípios cresceu em torno de 59%, acima do crescimento da região, cujas exceções foram Itaperuna e Miracema com retração do crédito. No segundo período, foi registrada uma estagnação no setor, apesar da expansão do crédito agrícola tanto nos municípios quanto na região. O mesmo ocorreu no terceiro período, quando os municípios de Cambuci, Italva e Itaperuna, apresentaram taxas de crescimento do crédito agrícola de 90%, 89% e 121%, ou seja, bem superiores a taxa de crescimento regional de 42%. No último período de 2007 a 2009, apesar de uma melhora no nível de crescimento econômico nos municípios de Bom Jesus do Itabapoana, Italva, Itaperuna, Natividade, Porciúncula e Santo Antônio de Pádua, o mesmo não acompanhou o crescimento do crédito na região.

A avaliação do setor industrial no primeiro período acentua a importância de Itaperuna com um crescimento de 119% contra 58% na região, enquanto os outros municípios apresentaram um crescimento médio de 31%. A modalidade financiamento neste período é declinante. O segundo período mantém o desempenho anterior, com recuperação do crédito. No terceiro período verifica-se um baixo crescimento, com a exceção de Porciúncula que cresce 32% contra a média de 9% no setor, com aumento do crédito em todos os municípios, com exceção de Lage do Muriaé. No quarto período, o crescimento econômico não acompanhou o crescimento de crédito.
O setor de Serviços apresentou uma trajetória similar, onde o crescimento econômico não acompanhou o crescimento da oferta de crédito. Os municípios de Aperibé, Bom Jesus de Itabapoana, Itaperuna e Porciúncula, se destacaram neste setor.

A conclusão da pesquisa é de a oferta de crédito, como elemento isolado, não foi capaz de provocar crescimento econômico equivalente, segundo o principio da moeda endógena. Esses resultados confirmam o nosso entendimento de que municípios mais frágeis, economicamente, exige a presença de uma coordenação institucional que apoie um melhor planejamento dos recursos locais e um processo de governança para aumentar os rendimentos crescentes. É necessário um olhar sistêmico, já que ações pontuais dificilmente conseguirão colocar essas economias na rota do crescimento sustentável.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como um discurso descuidado induz a erros grosseiros!

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra