Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2013

Projeto de Extensão da UENF é apresentado a Capitania dos Portos em São João da Barra

Imagem
O Projeto de Extensão da UENF, “Resgate e disseminação da história local: uma estratégia para a mudança sócio-cultural e econômica, coordenado pelo professor Alcimar Chagas, foi apresentado nesta terça, 29 de janeiro, ao corpo de profissionais da Capitania dos Portos de São João da Barra. Com a finalidade de apresentar alguns aspectos da história local a esses profissionais recém chegados no município, os bolsistas Chrisson Monteiro e Débora Longue focaram a discussão nos seguintes tópicos: formação histórica de São João da Barra, desenvolvimento da pecuária, o longo ciclo portuário que modernizou a economia e a cultura local, declínio e desmonte da atividade e a presente fase de transformação por conta da construção do Porto do Açu.  A explanação gerou um importante debate com uma ampla participação dos militares que, apesar de pouco tempo na cidade, demonstraram grande conhecimento sobre a sociedade local. Temas como: necessidade de maior envolvimento da sociedade, planos de investim…

OPERAÇÃO 2014

Ranulfo Vidigal

No ano de 2013, o foco central da agenda governamental permanece de olho na economia e seus desdobramentos sobre a renda e o emprego, como modalidade única na estratégia de inclusão social. Ao mesmo tempo surgem as primeiras candidaturas alternativas para o pleito presidencial que se avizinha. As plataformas liberais e conservadoras pregam um Estado mínimo, enquanto os progressistas buscam um aprofundamento do Estado indutor do desenvolvimento, com inclusão social e equilíbrio ambiental.
A lógica produtivista-consumista em vigor privilegia o mercado, como mecanismo central do desenvolvimento das forças produtivas. Por outro lado, embora o nosso sistema de proteção social tenha se expandido e o salário mínimo nominal valha cerca de 350 dólares, a nação brasileira ainda convive com níveis africanos de desigualdade social. Reportagem recentíssima de uma importante revista de circulação nacional, baseada em pesquisa do IBGE destaca que ainda somos “o país dos serviçais”. Dia…

O Perfil da Agricultura em Campos dos Goytacazes

Imagem
A atividade agrícola em Campos dos Goytacazes conta com uma razoável diversificação de culturas, porém é preocupante odeclínio em 2011, comparativamente, ao ano de 2006. Segundo indicado na tabela acima, relativo à atividade de lavoura temporária, foram colhidos 59,4 mil hectares em 2011, área menor 31,28% dos 86,4 mil hectares colhidos em 2006. Apesar da redução da área colhida, o valor da produção cresceu 8,65% no mesmo período analisado.
Na Verificação da origem desse crescimento, pode-se concluir que ouve uma melhora na produtividade do cultivo da cana de açúcar, já que a redução de 30,89% da área colhida implicou em uma redução de 23,21% da quantidade produzida, ou seja, pode-se computar uma evolução de 24,86% na produtividade desse cultivo. Por outro lado, a forte valorização do preço da cana-de-açúcar possibilitou o aumento de 9,75% no valor da produção em 2011, com relação a 2006. Importante observar que o cultivo da cana-de-açúcar representou 98,15% da área colhida em 2006 e 9…

Jornal o Globo

Nobel de Economia culpa ‘políticos e governos’ por desigualdadesJoseph Stiglitz contesta avaliação de que mercado é o responsávelPara economista, Brasil está no caminho certo para ‘crescimento bastante forte’ Stiglitz disse que Europa não devia ter criado euro ARND WIEGMANN / REUTERS
DAVOS (Suíça) – Joseph Stiglitz, prêmio Nobel de Economia, alertou no Fórum Econômico Mundial de Davos que os países estão ficando mais desiguais. Em seu último livro, “O preço da desigualdade”, defende que não é o mercado que está criando desigualdade, mas políticos e governos que modelam o mercado para favorecer os ricos. Em entrevista ao GLOBO, Stiglitz afirma que o Brasil é um dos países que mais trabalhou para reduzir a desigualdade nas últimas décadas. Reconhece que o baixo crescimento em 2012 seja uma “preocupação”, mas rechaça o coro dos pessimistas. O Brasil, diz, tem bons fundamentos e está no caminho certo para um crescimento “bastante forte”.
Em “O preço da desigualdade”, o senho…

A Nossa Frágil Democracia!

Imagem
Mensagem do professor  José Luiz Viana



Prezado(a) Caso concorde, favor repassar o MANIFESTO abaixo para sua rede de e-mails e para as redes sociais com as quais tem contato, via blogs, facebook, etc. É importante que não fiquemos omisso em casos como esse, que se tornaram rotina insustentável, neste país. Segue abaixo, o texto para divulgação. O manifesto e todas as informações sobre o ocorrido estão em http://www.robertomoraes.com.br/ Atenciosamente José Luis Vianna da Cruz
ATENTADO CONTRA A PAZ E A JUSTIÇA SOCIAL! MATARAM UM GUERREIRO!
Hoje, 26 de janeiro de 2013, CÍCERO GUEDES, líder do Movimento pela Reforma Agrária e em prol da Agricultura Familiar, amanheceu morto, assassinado, no Assentamento Oziel, em Campos dos Goytacazes, Estado do Rio de Janeiro. CÍCERO era um trabalhador rural que ousou lutar  pelos ideais de Justiça e pelo bem comum do seu povo, trabalhadores rurais expropriados da terra e sem futuro. É mais um líder popular cuja morte se somará às centenas de outras,…

O retrato do emprego em 2012 na região Norte Fluminense

Imagem
A região Norte Fluminense, assim como o Estado do Rio de Janeiro fechou o ano de 2012 com desaceleração no saldo de emprego formal. O Rio de Janeiro gerou 148.797 novos empregos em 2012, número menor 27,08% em relação aos 204.057 empregos gerados em 2011. A região norte Fluminense, por sua vez, gerou 9.107 empregos em 2012, ou 6,12% do Estado, cujo saldo foi menor 48,37% do saldo gerado em 2011. O Brasil gerou 1,3 milhão de emprego em 2012, cujo número superou em 3,43% o saldo de 2011. Como verificado, a situação da região é inferiorapesar dos pesados investimentos infraestruturais. Na região, Macaé liderou a geração de emprego formal com um saldo de 6.262 em 2012, distribuidos em 43,8% na construção civil; 35,58%  na atividade de serviços; 8,54% no comércio e 5,25% na indústria de transformação. Campos dos Goytacazes, gerou um saldo de 1.288 novos empregos, cuja concentração se deu no setor de serviços com a geração de 1.995 empregos. o Comércio gerou 475 vagas, a indústria de transform…

Royalties de petróleo em janeiro de 2013 na região Norte Fluminense

Imagem
As receitas de royalties de petróleo na região Norte Fluminense em janeiro deste, apresentaram uma queda de 2,03% em relação a dezembro de 2012. No Estado, a queda foi de 1,72%. Campos dos Goytacazes, contabilizou uma queda de 2,57% na arrecadação no período analizado. Em termos monetário, a maior arrecadação em janeiro foi de R$53,9 milhões para Campos dos Goytacazes, seguido por Macaé que contabilizou uma arrecadação de R$ 40,0 milhões. São João da Barra recebeu R$ 8,7 milhões e Quissamã R$ 7,7 milhões. A região contabilizou uma receita de royalties de R$ 115,8 milhões, enquanto o Estado contabilzou uma receita de R$ 268,0 milhões em janeiro.

Redução da conta de energia ou manobra contábil?

A presidente Dilma confirma promessa de reduzir a conta de luz no País. O desconto para as residências será de 18% e a indústria será beneficiada em até 32%. Na verdade, por traz dessa decisão existem manobras contábeis importantes. O governo leia a própria sociedade, terá um gasto por conta da redução da conta de luz de R$ 8,46 bilhões ano. É importante observar que o governo não cria riqueza e sim o setor privado, neste caso alguém terá que pagar. 
Outra questão, não muito bem esclarecida, é a mudança rápida de uma situação difícil, classificada de "apagão da energia", para uma condição de aumento da oferta com reflexos na redução da tarifa. Como é possível? Teoricamente, a implementação de novos projetos para aumento da oferta energética depende de um período longo de tempo. Um outro problema estárelacionado a integração público - privado, onde decisões como essas podem comprometer novos investimentos.

INVESTIMENTOS EM DESTAQUE

Ótima reflexão do economista Ranulfo Vidigal A mais recente edição da Revista Multicidades da Frente Nacional de Prefeitos destaca o esforço da Prefeitura Municipal de Campos nos gastos de investimento do orçamento fiscal do município nos anos mais recentes. A cidade do norte-fluminense figura na sétima colocação no ranking nacional entre as mais de cinco mil prefeituras avaliadas. Este blog, em diversos comentários elaborados pelo seu titular já havia antecipado este fato comprovado pela pesquisa publicada na Multicidades.
Destinar cerca de 20 por cento do orçamento para obras de infra-estrutura vem contribuindo positivamente para dotar o município campista de melhores condições para receber os investimentos privados dos setores do agronegócio, logística portuária e construção civil residencial. Por outro lado, esta prioridade fortalece a demanda setorial pelos trabalhadores da construção civil.
O motor do crescimento econômico de qualquer localidade é a demanda agregada, dado que a dis…

Conservação Ambiental na região Norte Fluminense: indicadores para 2013

Imagem
A região Norte Fluminense perdeu posição na avaliação sobre o processo de conservação ambiental da Secretaria Estadual do Ambiente, com excessão de São Fidélis que melhorou a sua posição. O município que ocupou o primeiro lugar no Estado foi Silva Jardim com um índice de 4,7803  e uma remuneração correspondentede R$ 8.491.812,00 para 2013. A tabela apresenta os índices, remuneração e a classificação dos municípios no ranking para o ano de 2013.Carapebus ocupou a liderança com um índice de 2,2257 e uma remuneração de R$ 3.951.394,00 e Cardoso Moreira ocupou a lanterna com índice de 0,0806 e R$ 141.936,00 de remuneração. O gráfico apresenta os índices de conservação para os municípios da região, segundo a Secretaria do Ambiente.

O retrato da agricultura familiar em São João da Barra

Imagem
O olhar sobre a atividade agrícola de São João da Barra, no período de 2006 a 2011, indica um declínio da área colhida de 28,51% na lavoura temporária em 2011, com base em 2006. O cultivo de cana-de-açúcar foi o grande responsável com uma queda de 33,35% no mesmo período. Há de observar que em 2006 a área de cana representava 95,14% da área total, caindo para 88,71% em 2011. A área colhida do abacaxi, por sua vez, apresentou um crescimento de 216,46%. A análise da quantidade produzida, apresenta um crescimento de 174,26% no volume colhido de abacaxi e uma queda de 15,58% no volume de cana-de-açúcar.  O valor monetário da produção, entretanto, apresenta um forte crescimento de 228,42% em 2011, com base em 2006, puxado pelo abacaxi que cresceu 832,49% e pela cana-de-açúcar que cresceu 60,82%. Observa-se claramente uma substancial melhoria dos preços praticados no mercado.  Na atividade de lavoura permanente, observa-se um crescimento da área colhida de 23,02% no mesmo período, puxado pelas…

Licenciamento no Porto do Açu

O novo tratado

Avaliação do economista Ranulfo Vidigal
Nas nossas cidades cresce, de forma exponencial, o acesso ao ensino universitário. Enquanto nos países asiáticos quarenta por cento da força de trabalho possui terceiro grau, aqui em nosso país ainda temos um bom caminho a percorrer nesta direção. O capital humano tende a valer tanto, ou mais, que o capital natural e o capital físico (infraestrutura e máquinas). As habilidades mais demandas no futuro estarão associadas à capacidade de interagir com as mídias sociais, com os negócios digitais e com os sistemas corporativos relacionados à tecnologia da informação. Cresce, portanto, a importância do capital intelectual e social.
Neste cenário estarão em evidência, os talentos associados à construção de relacionamentos em rede, senso de equipe, colaboração, bem como boa comunicação oral escrita e domínio perfeito de, pelo menos, um idioma estrangeiro. A palavra de ordem é o valor crescente da proximidade entre regiões, empresas e pessoas.
Outra importa…

Execução orçamentária em Quissamã no período janeiro a outubro de 2012

Imagem
No município de Quissamã, observa-se uma execução orçamentária bem ajustada, no período dejaneiro/outububro de 2012.
Da previsão de receitas correntes em R$ 228,9 milhões, foram realizadas 86,05%; das receitas tributárias 90,56% e das transferências correntes 87,75%.
As receitas tributárias (receitas próprias) realizadas até outubro somaram R$ 8,4 milhões, valor equivalente a 4,26% das receitas correntes. Observa-se no município um bom padrão de valor adicionado fiscal, não revertido plenamento nas receitas próprias. Parece haver uma política de isenção de ISS para atrair empresas, especialmente, as ligadas ao setor de petróleo.
O valor liquidado de investimento foi da ordem de R$ 17,2 milhões, equivalente a 8,71% das receitas orçmentárias. Esse padrão de investimento superou os últimos três anos.

O perfil do emprego na Microrregião Campos dos Goytacazes

Imagem
A trajetória do emprego na microrregião Campos dos Goytacazes, evoluiu com forte dependência do setor agopecuário em 2012. Neste caso, a atividade canavieira é a grande referência.  A tabela apresenta o saldo de emprego mensal total, o saldo no setor agropecuário e a sua participação percentual. Observa-se o aumento de representatividade do setor, por ocasião do inicio da safra da cana-de-açúcar e o consequente recuo por conta do final da mesma safra. No acumulado no período de janeiro a novembro, verifica-se uma participação relativa de 40,2% do setor no saldo de emprego total. As linhas representativas dos saldos de emprego total e do setor agropecuário confirmam a discussão anterior. É importante observar ainda que, pelo fato do setor operar integrado a uma cadeia já consolidada, o mesmo provoca atividades nos setores industrial e de serviços. Dai a abrangência do setor sucroalcooleiro sermuito mais representatitivo na geração de emprego da microrregião.
"A microrregião Campos do…

Divulgação

de: ÉRICA ALMEIDA [mailto:ericalmeida@uol.com.br]
Enviada em: sexta-feira, 11 de janeiro de 2013 16:42
Para:joseluisvianna@uol.com.br; 'as-netto'; 'Comissão de Direito Ambiental'
Assunto:

Prezados, escrevo para convidá-los e solicitar o apoio na divulgação da manifestação em apoio aos catadores e à implantação da coleta seletiva com a participação dos catadores em Campos dos Goytacazes/RJ, política pública de inclusão produtiva recomendada pela nova Política Nacional de Resíduos Sólidos em resposta ao fechamento dos lixões e ao desemprego dos catadores tradicionais. Não basta fechar lixões; é preciso investir na coleta seletiva com os catadores, caso contrário a PNRS não se constituirá num instrumento de democratização e de cidadania.
A manifestação será no dia 16/01, quarta-feira, a partir das 10h na Praça São Salvador em Campos dos Goytacazes/RJ. A UFF é parceira e apóia este movimento através de um Projeto de Extensão coordenado por mim e, em nome dos catador…

Pessoal ocupado e salário médio mensal na região Norte Fluminense em 2010

Imagem
A tabela apresenta o número de pessoas ocupadas assalariadas e o salário médio mensal em 2010, nos municípios da região Norte Fluminense, segundo o IBGE. Macaé, registrou um número mais expressivo de pessoal assalariado e a maior remuneração média mensal, 7,5 salários mínimos. Tal fato, está relacionado a sua condição de sede das empresas que operam na atividade petrolífera e, naturalmente, a própria característica do setor, ou seja, denso em capital e com um contingente elevado de trabalhadores muito qualificados. A surpresa é Quissamã que apresenta a segunda remuneração média. Neste ano, o salário médio mensal indica o desenvolvimento de atividades de valor elevado, capaz de remunerar bem o trabalho e, consequentemente, o capital. Por outro lado, São João da Barra também surpreende, porém negativamente, já que apresentou um salário médio de 2,2 salários mínimos, num contexto de aumento da taxa de pessoal ocupado e com fortes investimentos privados, por conta do projeto do Porto do Açu…

PIB percapita na região Norte Fluminense em 2010, segundo o IBGE

Imagem
A figura apresenta o Produto Interno Bruto (PIB) per capita, para os municípios da região Norte Fluminense em 2010, segundo o IBGE. Quissamã concentra o maior valor, ou R$ 153.769,95 seguido por São João da Barra com R$ 106.348,05 e em terceiro lugar aparece Campos dos Goytacazes com R$ 83.859,53.  Olhando pela ótica do PIB, realmente esses valores apresentam algumas dificuldades para uma análise mais detida dos sistemas econômicos desses municípios, em função de sua contaminação pelas rendas do petróleo. Entretanto, o cruzamento do Valor Adicionado Fiscal com outros indicadores, permite uma visão mais efetiva. Posteriormente divulgaremos mais informações.

O Futuro de Campos

Uma excelente análise do economista Ranulfo Vidigal A cidade de Campos do Goytacaz tem a maior população da Região do Norte Fluminense, com quase 600 mil habitantes. Situada entre as cidades de Macaé e de São João da Barra que expandem suas bases da economia em função do “efeito- reprodutor” de empregos gerados pela indústria petrolífera e pelo pólo portuário de escoamento de minério de ferro para exportação, fica ilhada pelas duas metrópoles estratégicas na formação do produto interno bruto fomentado pelo crescimento da indústria. A economia do município, com forte presença do agronegócio, ainda é dependente dos investimentos públicos feitos pelo poder público local.  O setor de serviços, seguindo uma tendência mundial tem peso significativo na formação da renda e geração de empregos formais. Vivemos, contudo, uma conjuntura virtuosa que fortalece os vetores da cadeia produtiva industrial.
Os dados do produto interno bruto do município divulgado pelo IBGE, em 2010, são de R$ 25 bilhões…

Operações bancárias em outubro de 2012, na região Norte Fluminense

Imagem
Os saldos das operações bancárias em outubro de 2012, na região Norte Fluminense, são apresentados na tabela. Campos lidera nas operações de crédito com um saldo de R$ 1,6 bilhão, seguido por Macaé com um saldo de R$ 1,3 bilhão. Entre os menores municípios, São Fidélis se destaca com um saldo de R$ 119,3 milhões, superando municípios produtores de petróleo como: Quissamã e São João da Barra.
Nas operações de depósito a vista do setor privado, a liderança é de Macaé com um saldo de R$ 271,7 milhões, seguido por Campos com um saldo de R$ 224,8 milhões.
Nos depósitos a prazo, Campos contabilizou um saldo de R$ 922,2 milhões, Macaé contabilizou um saldo de R$ 816,1 milhões e São João da Barra R$ 173,9 milhões. O gráfico apresenta a trajetória do saldo de depósitos a prazo no município de São João da Barra. O crescimento no último semestre de 2011 foi forte, contrastando com uma certa estabilidade no segundo semestre de 2012, o que possibilitou o afunilamento das curvas.

Exportação de Minério de Ferro em 2012

Imagem
As exportações de minério de ferro do Brasil mantém o volume embarcado e a receita em dólar, entretanto o preço negociado é declinante. Em dezembro de 2012, o preço de US$ 87,2 por tonelado foi menor 13,58% do preço de janeiro do mesmo ano. O gráfico apresenta a trajetória dos preços praticados em 2011 e 2012. Verica-se que os preços praticados em 2011 superaram os preços de 2012. O preço de dezembro de 2012 caiu 19,33% em relação ao preço de dezembro de 2011.

O negócio com açúcar em bruto no comércio exterior em 2012

Imagem
A movimentação das commodities brasileiras no comércio exterior em 2012 aponta problemas importantes. A trajetória do preço do açúcar em bruto apresentou declínio ao longo do ano. O valor negociado em dezembro de US$477,3 é menor 19,14% do valor de US$590,3 negociado em janeiro do mesmo ano. O gráfico apresenta a evolução do preço do açúcar em bruto no comércio exterior nos anos de 2011 e 2012. Observe que enquanto o ano de 2011 possibilitou uma trajetória de crescimento, o ano de 2012 possibilitou uma trajetória de declínio. O valor em dezembro de 2012 é menor 20,46% do valorde dezembro de 2011.

O Futuro da Região

Análise do economista Ranulfo Vidigal
Nossa região, com quase hum milhão de habitantes tem em Campos o principal pólo de serviços, enquanto Macaé oferece a estrutura de apoio industrial e de serviços para a produção de petróleo. Já São João da Barra projeta-se como o futuro pólo logístico e portuário voltado à exportação de minério e apoio às plataformas de petróleo em alto mar.
A literatura nos mostra que, os fatores cruciais para incentivar o “animal spirits” do empresariado são regras do jogo estáveis, mão de obra qualificada e de alta produtividade, além de infraestrutura econômica de energia, transportes e comunicações adequadas e disponibilidade de um setor criativo voltado à geração de tecnologias e inovações.
O norte fluminense não pode ficar alheio aos movimentos recentes da economia mundial e seu processo de realinhamento, bem como aos avanços da tecnologia, ou à globalização dos mercados, além das mudanças demográficas com o envelhecimento relativo da população economicamente…

A trajetória do Mininério de Ferro no Comércio Exterior

Raquel Landin - Jornal Estado de São Paulo “Por conta dos menores preços no mercado internacional, as vendas de minério de ferro caíram de US$ 41,8 bilhões em 2011 para quase US$ 31 bilhões em 2012 – ou seja, US$ 10,8 bilhões a menos. O valor é equivalente a queda do saldo comercial brasileiro no ano (US$ 10,3 bilhões a menos)”.

Exportações brasileiras em 2012

Imagem
As exportações brasileiras fecharam o ano de 2012 com um declínio de 5,26% em relação a 2011. A Europa Oriental gerou o pior resultado, com uma queda de 16,37%, seguida pela América Latina e Caribe com uma queda de 11,74% no mesmo período. Somente os Estados Unidos aumentou em 3,5% o valor das exportações do Brasil em 2012 com base em 2011. Na avaliação envolvendo a participação percentual dos principais blocos econômicos no total das exportações, verifica-se a liderança da Ásia com 31,08%, seguida pela América latina e Caribe com 20,80% e União Européia com 20,14%.  Quanto ao saldo da Balança Comercial (Exportação - Importação), o ano de 2012 contabilizou o pior resultado desde 2002. O valor atingiu US$19,438 bilhões, valor menor 35% do valor contabilizado em 2011.