Uma política cultural sustentável


Do momento em que se discute a erradicação da pobreza e o uso sustentável dos recursos, é essencial entender a sociedade através dos valores culturais, cristalizados nas manifestações artísticas, sociais, lingüísticas e comportamentais. Porém as ações voltadas para a cultura de forma estática, ou seja, cultura somente como arte e lazer, é fruto de uma visão pontual e incompleta que não se desdobra em desenvolvimento sócio-cultural. A política cultural em São João da Barra é muito próxima dessa concepção pontual, onde gastos em prédios, equipamentos e eventos isolados são desconectados de um planejamento eficaz que geram desperdício de recursos financeiros.

Contrariamente, a valorização da cultura local como elemento simbólico, deve compor um planejamento em busca de negócios diferenciados que tendem a criar identidade social e senso de pertencimento, fortalecendo, economicamente, o ambiente. Neste caso, a cultura torna-se aliada a economia com a geração de negócios diferenciados e profissionalizados. Estes são orientados em cadeias produtivas valorizando o trabalho, gerando renda, diminuindo a pobreza e criando ciclos econômicos sustentáveis. Alguns exemplos de saberes locais, nesse contexto, são: a construção naval, a agricultura familiar, a pesca artesanal, a cozinha a base de pescado, o artesanato, as manifestações culturais históricas, a criatividade individual esparsa, etc., que hoje não geram riqueza pela inexistência de gestão pública.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como um discurso descuidado induz a erros grosseiros!

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra