Visões sonhadoras e desprovidas de base técnica

Os argumentos colocados pelo competente arquiteto Vitor Aquino, em programa de rádio, sobre as transformações socioeconômicas do municipio de São João da Barra e região, por conta dos investimentos do complexo portuário do Açu, são frágeis e inocentes. Por exemplo, a visão de que priorizando interesses de um maior grupo de indivíduos em detrimento a um menor, possibilitará a salvação de todos; a sonhadora visão de sustentabilidade para os novos moradores da vila da terra; a certeza de que planejou a saúde e a educação para dez ou quinze anos em São João da Barra, etc. Enfim, me perdoe meu amigo, mas a visão prospectiva e sonhadora, basedada em estudos contratados pelo empreendedor não merece tanto crédito assim. É evidente que os interesses econômicos deste mesmo empreendedor está acima de qualquer benefícios social. Ao contrário, a minha crítica se baseia em indicadores estatísticos de instituições sérias do pais, tais como: Banco Central, Ministério do trabalho, Tribunal de Contas do Estado, etc. Ai meu amigo, não existe argumento contra. Veja que, do emprego gerado nos quatro anos passados, os munícipes ficaram com os empregos precários e baixa remuneração; o valor adicionado na economia local não tem avançado; a renda no município é precária e dificulta investimentos privados localmente. Por outro lado, o governo é rico, mas não investe os recursos dos royalties; a gastança em custeio é real e concentra recursos, basta verificar os depósitos prazo em 2011. Outros indicadores, como a ridícula avaliação do ensino fundamental pelo IDEB e o processo de descontinuidade de ações públicas, ratificam a fragilidade da gestão pública atual.

Comentários

  1. Professor, me desculpe pela arrogância na maneira de escrever, mas o Sr. Victor Aquino apesar de ter sido secretário da atual gestão parece não pertencer ao mesmo município, em uma audiência que tive a oportunidade de estar presente o mesmo comentou sobre uma reportagem da TV Globo no Açu falando da falta de infraestrutura. Logo em seguida disse que muito já melhorou e falou veementente que em SJB não haverá favelização, como se não conhecesse os vá vários pontos de favelização da cidade. Infelizmente um governo sem sem rumo tenta a qualquer custo nós chamar de otários mas acredito que nem os menos informados caem nesse papo mais. Falam do país das maravilhas e vivemos o mundo real, que é totalmente diferente do que tentam passar.

    ResponderExcluir
  2. Ah, só uma coisa que me esqueci de colocar no comentário: se a vila da terra será tão boa porque as autoridades não compram um pedacinho do paraíso lá? Afinal sempre quero o bem para mim e não apenas pros meus irmãos. O staff d governo poderia começar a preitear umas quadras na vila da terra.

    ResponderExcluir
  3. Olá Denis, a sua visão é correta. A minha percepção é de que os integrantes do governo incorporam os discursos dos empreendedores integralmente, sem nehnhuma restrição. É uma pena, pois o olhar crítico é essencial para ajustar o debate em busca dos melhores resultados. Como esses elementos não tem esse olhar crítico, prevalece os interesses do capital em detrimento do bem estar da população. O resultado disso é realmente um processo de forte geração de riqueza concentrada, com expurgo de uma parcela importante da população para a miséria.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra