Análise retrospectiva da economia na Região Norte Fluminense

Uma análise da retrospectiva de 2011 para a economia da Região Norte Fluminense, apresenta uma boa recuperação do nível de emprego formal, especialmente para os municípios de Campos, Macaé, São Francisco de Itabapoana e São João da Barra. Os investimento exógenos do Complexo Portuário do Açu, os investimentos público e privados na construção civíl, a boa remuneração da cana-de-açúcar e a boa conjuntura econômica do país, possibilitarm tal resultado. Conforme a tabela, Campos gerou um saldo de 7.931 empregos até até novembro de 2011 contra 4.149 empregos em 2010 ou um crescimento ainda parcial de 91,15% neste ano. Macaé registrou um crescimento de 53,39% em 2011 (até novembro), São Francisco apresentou um crescimento (até novembro) de 339,13% e São João da Barra apresentou um crescimento (até outubro) de 207,39% na comparação com o ano de 2010. Cardoso Moreira, Quissamã e São Fidélis destruiram emprego em 2011.

O gráfico apresenta as taxas de investimento dos municípios da região para o ano de 2010 e para 2011 no período janeiro a outubro, exceto São João da Barra, as quais foram atuazadas até agosto de 2011. Nesse indicador o ano de 2011 não será melhor do que o ano de 2010. O município de Campos se apresenta como destaque em ambos os anos. Em 2010 o município investiu R$437.900.667,00 atngindo um nível de investimento de 23,95% das receitas orçamentárias realizadas. Em 2011 (até outubro), a valor do investimento liquidado foi de R$299.290.229,00 ou uma taxa ainda parcial de 18,68%. Os outros municípios dificilmente terão níveis de investimento em 2011 superiores a 2010.

As operações bancárias de contratação de crédito e depósito a prazo, apresentaram uma excepcional dinamica em 2011. A tabela apresenta os saldos das operações para os municípios da Região Norte Fluminese em 2010 e 2011 (até setembro). Campos e Macaé lideram com os maiores saldos nas duas modalidades.

O gráfico apresenta as taxas de crescimento de crédito e depósito a prazo em 2011 com base em 2010. Observe que as variações de depósito a prazo são substancialmente maiores do que as taxas de crescimento das operações de crédito. A região tem gerado riqueza de forma concentrada e a contratação de crédito tem ficado substancialmente abaixo de um padrão compatível com a formação de poupança. Este quadro confirma a teoria centro/periferia, onde regiões periférica geram riqueza mas transfere para as regiões centrais. Essa característica inibe o desenvolvimento interno dessas regiões.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como um discurso descuidado induz a erros grosseiros!

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra