segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Jornal Universitário da UENF

Estamos disponibilizando a competente matéria produzida pelo jornal universitário da Universidade Estadual do Norte Fluminense - UENF.

http://www.uenf.br/cch/jornaluniversitario/ju-boletim-eletronico-03/

sábado, 29 de outubro de 2011

Boletim Econômico de Campos

http://www.boletimeconomico.com.br/


Prezados amigos, é com prazer que apresento mais uma fonte de informação importante. Trata-se do Boletim Econômico de Campos dos Goytacazes, elaborado pela cooperação técnica UENF (Laboratório de Engenharia de Produção) Prefeitura de Campos (CIDAC). Desejo uma boa leitura.


Abraços, Alcimar Chagas

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Execução Orçamentária do bimestre julho-agosto e do período consolidado do ano 2011 em Campos dos Goytacazes

A execução orçamentária do bimestre julho/agosto deste ano, em Campos dos Goytacazes, mantém a regularidade dos bimestres anteriores. Do valor anual previsto para as receitas correntes, foram realizados 22,3% no bimestre, 21,1% das receitas tributárias e 22,4% das transferências correntes, no mesmo período.
Do grupo das despesas, foram liquidados 17,96% das despesas correntes, 18,66 das despesas com pessoal e encargos, 19,76% das despesas de capital e 21,24% das despesas de investimento, no bimestre. No plano consolidado, considerando o período janeiro a agosto, a tabela a seguir apresenta os valores do resumo atualizado.
Observa-se a realização de R$1,4 bilhão de receitas correntes, ou 74,2% do valor previsto para 2011. As receitas tributárias, com valor realizado em R$104 milhões, representam o equivalente a 80,7% do valor previsto. Esta por sua vez, apresentou um percentual de 7,58% das receitas correntes realizadas no mesmo período. As transferências correntes, realizadas no valor de R$1,2 bilhão, representaram o percentual de 74,7% do valor previsto e 86,76% das receitas correntes realizadas no período.
Na consolidação das despesas, verifica-se uma liquidação de 72,1% das receitas correntes previstas. As despesas de pessoal e encargos liquidadas representaram um percentual de 78,2% da previsão e uma equivalência de 48,23% das despesas correntes. As despesas de capital liquidadas representaram 72,7% da previsão inicial e os gastos com investimento representaram 71,7 da previsão e o equivalente a 27,6% despesas correntes.
Os resultados totais consolidados no período de janeiro a agosto de 2011, somaram R$1.400.160.545,4 de Receitas realizadas e R$1.319.004.361,2 correspondentes as Despesas, gerando um saldo superavitário de R$81.156.184,20 no período analisado.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Emprego em setembro nos municípios com menos de 30 mil habitantes na Região Norte Fluminense

A tabela ao lado apresenta a movimentação do emprego formal nos municípios com menos de 30 mil habitantes na Região Norte Fluminense. Nesse grupo, São João da Barra continua como destaque com 80 novos empregos criados em setembro e 735 empregos criados no período de janeiro a setembro.
Conceição de Macabu criou 94 empregos no período, Carapebus gerou 79 empregos, enquanto Cardoso Moreira destruiu 47 empregos e Quissamã destruiu 36 empregos no período analisado.

O gráfico ao lado apresenta a trajetória do emprego em São João da Barra nos meses de janeiro a setembro nos anos de 2010 e 2011.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Os royalties de petróleo em outubro na Região Norte Fluminense

O participação percentual do valor da receita de royalties da Região Norte Fluminense em outubro, com relação ao total do Rio de Janeiro, foi menor do que a mesma participação em setembro. Em setembro o valor depositado nos municípios da região representou 46,78% e em outubro 45,45% do valor total.

Em termos absolutos Campos ficou com a maior parcela acumulada de janeiro a outubro, ou seja, R$459,3 milhões, seguido por Macaé com R$335,8 milhões, São João da Barra com R$105,8 milhões e Quissamã comR$63,9 milhões.

Como pode-se verificar, a região com grande representatividade no processo de distribuição de royalties passa por momentos de grande tensão, já que a redistribuição é dada como certa. Os indicadores mostram que 9,55% do bolo nacional fica na região. Isso quer dizer que uma nuvem negra paira por essas bandas de cá.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Execução orçamentária em Campos no período janeiro a agosto de 2011

A execução orçamentária em Campos dos Goytacazes, no período de janeiro a agosto, mantém um bom padrão de eficiência. As receitas correntes realizadas atingiram o percentual de 74,2% do valor previsto, as receitas tributárias 80,7% e as transferências correntes 74,7% dos valores previstos para 2011.
As receitas próprias no período representaram 7,58% das receitas correntes, enquanto o investimento liquidado representou 19,63% das receitas realizadas.

sábado, 22 de outubro de 2011

Os reflexos do projeto lei de distribuição de royalties para a Região Norte Fluminense

O projeto de lei aprovado pelo Congresso sobre uma nova distribuição de royalties, traz prejuízo aos municípios produtores, entretanto é infinitamente melhor do que está por vir. A certa derrubada do veto do presidente Lula relativo a emenda Ibsen será desastrosa.
Para identificar melhor as possíveis perdas com o projeto do senador Vital do Rego, aprovado no Senado, foi considerado a movimentação de royalties e participação especial no ano de 2010, conforme a tabela acima. Do total distribuido de R$19 bilhões, o Rio de Janeiro ficou com R$5,6 bilhões, ou seja, 22,49% da partilha de royalties e 37,58% da partilha de participação especial. Por sua vez, Campos participou deste total do Rio de Janeiro com 21,59% da parcela de royaties e 17,95% da parcela de participação especial; Macaé ficou com 15,94% da partilha de royalties e 2,66% da partilha de participação especial, enquanto que São João da Barra ficou com 4,4% da partilha de royalties e 2,66% da partilha de participação especial.
Assim, a previsão para uma nova receita de royalties e participação especial para 2012, ficaria assim definida.


Neste caso, o Rio de Janeiro perderia 39,67%; o município de Campos dos Goytacazes perderia 38,49%; o município de Macaé perderia 29,18% e o município de São João da Barra perderia 37,32%.
Um exercício para a estimativa do orçamento municipal, no caso de São João da Barra, considerando que o volume das indenizações representa em torno de 76%, o valor orçamentário estimado para 2012 deve ser em torno de R$167.536.851,30.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Cooperação técnica entre UENF e Prefeitura de Campos lança Boletim Econômico

Foi lançado ontem no auditório da Firjan regional, o Boletim Econômico de Campos dos Goytacazes. Estavam presentes membros dos governos local e estadual, além de pesquisadores ligados a academia. Discussões importantes sobre as mudanças econômicas na região por conta, especialmente, do complexo portuário do Açu e, naturalmente, uma possível mudança orçamentária nos municípios produtores de petróleo, ganharam destaque. Nesse contexto, o boletim veio no momento em se acentua o sentimento de que alternativas no ambito técnico, precisam ser pensadas e implementas em direção a uma melhor gestão dos recursos públicos. Planejar as atividades tradicionais, combater a informalidade, apoiar uma melhor padrão competitivo dos segmentos industriais, são alguns aspectos importantes nesse novo momento.
Convidamos a todos a navegar nesse novo site que poderá ajudar a melhor entender a atividade econômica de Campos dos Goytacazes.

www.boletimeconomico.com.br

terça-feira, 18 de outubro de 2011

A movimentação do emprego em setembro nos municípios com mais de 30 mil habitantes na Região Norte Fluminense

O mês de setembro apresentou uma desaceleração do emprego na Região Norte Fluminense. Campos dos Goytacazes gerou 177 novos empregos no mês, somando um acumulado de 7.533 empregos no período de janeiro a setembro de 2011. Deste total, o setor agropecuário apresentou uma participação de 49,20% o setor de serviços participou com 21,21% o setor de comércio participou com 11,77% e a indústria de transformação participou com 10,54% do saldo total. O município de Macaé gerou 1.033 empregos no mês e um saldo acumulado de 10.326 empregos líquidos no período de janeiro a setembro deste ano. Deste total, o setor de serviços participou com 66,20% a construção civil participou com 10,81% e a indústria de transformação participou com 15,54% do saldo total no período.
O Município de São Fidélis gerou 23 empregos líquidos no mês e um saldo acumulado de 110 empregos enquanto São Francisco de Itabapoana destruiu 19 empregos no mês e manteve um saldo acumulado positivo de 811 empregos, com uma participação do setor agropecuário de 95,56% no período de janeiro a setembro de 2011.


O gráfico ao lado apresenta a trajetória do saldo de emprego em Macaé e Campos dos Goytacazes nos meses deste ano. Observa-se desaceleração em setembro.

sábado, 15 de outubro de 2011

O minério de ferro brasileiro no comércio exterior

A movimentação de minério de ferro no comércio exterior apresentou uma queda de 7,47% no volume embarcado em setembro, com base em agosto de 2011. A receita em dólares caiu 8,62% e o preço caiu 1,24% no mesmo período.
Na comparação do volume embarcado em setembro de 2011 com o mesmo mês do ano anterior, observa-se um crescimento de 9,95%, enquanto que o preço atual é maior 12,31% do que o preço de setembro do ano passado.
O gráfico ao lado, apresenta a trajetória do preço de venda em dólar nos meses de janeiro a setembro de 2011 e do mesmo período em 2010, onde se observa um crescimento dinâmico no ano de 2010 e certa estabilização em 2011.

Comércio exterior de açúcar em bruto do Brasil

A movimentação do açúcar em bruto do Brasil, no comércio exterior, apresentou uma queda de 13,2% no volume embarcado em setembro com base em agosto deste ano. O valor da receita também caiu 11,57% no mesmo período, tendo o preço em dólar crescido em 1,88% no mês de setembro com base em agosto.


Na comparação setembro de 2011 com setembro de 2010, verificou-se uma queda de 2,59% no volume embarcado e um aumento de 37,12% no preço de venda em dólar.

O gráfico ao lado, apresenta a trajetória do preço no período de janeiro a setembro de 2011. Depois da forte queda verificada em maio e junho, observa-se a sua recuperação nos últimos três meses do ano.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Balanço do rendimento por trabalhador nos respectivos setores em Campos dos Goytacazes


Investigação sobre a remuneração do trabalho em Campos dos Goytacazes, no período de 2004 a 2010, indica a importância do setor de administração pública, cujo nível médio de rendimento alcançou o maior valor de R$ 1.531,80 no período. A seguir aparece a atividade de serviço industrial de utilidade pública com um rendimento de R$ 1.271,43 e o setor de serviço com uma remuneração média de R$ 1.155,20. Bem abaixo, o setor de construção civil e atividade extrativa mineral que apresentam rendimento médio de R$ 784,43 e R$ 744,83 consecutivamente. A indústria apresentou um rendimento médio de R$ 706,93 e o comércio apresentou um rendimento médio de R$ 660,74. Com a menor remuneração no valor de R$ 554,61 se apresenta o setor agropecuário que contrasta com a sua importância em termos de geração de emprego formal no município. O gráfico apresenta os valores em termos nominais por setor de atividade no mesmo período.

Numa avaliação em termos reais, ou seja, descontando a inflação medida pelo IGPM dos valores nominais, observa-se um crescimento de 25,57% no rendimento do trabalho no ano de 2007 tendo como base o ano de 2004. No período posterior, observa-se um maior crescimento da ordem de 36,26% considerando como referência o ano de 2010 e como base o ano de 2007. A tabela apresenta os valores de remuneração média anual em termos nominais, o IGPM a remuneração média em termos reais e as variações anuais.











terça-feira, 11 de outubro de 2011

Práticas de sustentabilidade.........

Depois de uma semana em Belo Horizonte, no Congresso de Engenharia de Produção, muitos debates e trabalhos interessantes, retorno com baixa inspiração. Não gosto de reproduzir matérias de jornais, mas as discussões sobre o tema ambiental me chamou a tenção para a necessidade de uma reflexão.

Ouvi em BH que o paradigma de organização produtiva, ainda em desenvolvimento, pode ser o da sustentabilidade, depois de superados os paradigmas de produção em massa (taylorista fordista) e produção flexivel (eletro-eletrônica). Na verdade, as imagens apresentadas referenciando sustentabilidade eram todos focadas na natureza. Então, sustentabilidade é somente proteção da natureza? Tenho dúvidas.

No ínicio da primeira revolução industrial, período em que a natureza estava totalmente preservada, Adam Smith levantou a questão da geração de riqueza e a sua distribuição. Desde esse período a grande luta da economia tem sido a de gerar riqueza e combater a exclusão social. Isso quer dizer que antes de pensar o meio-ambiente dissociado do homem, devemos pensar na defesa do homem e sua inserção socioeconômica. Este estágio, eleva o indivíduo culturalmnente o que vai refletir em novas praticas sociais, culturais, econômica, políticas, cujos impactos é naturalmente a defesa do meio-ambiente.

Assim, entendo melhor a questão. Focando na evolução do homem, ataco as práticas nocivas que atingem a natureza e, na sequência, o próprio indivíduo. Trata-se de uma árdua missão, afinal desde Adam Smith a luta relacionada a geração de riqueza e sua distribuição ainda não terminou. Desta forma, o esforço de proteção a natureza, da forma observada, pode não garantir a proteção do homem.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Movimentação bancária na Região Norte Fluminense em julho de 2011

Os valores na tabela representam os saldos da movimentação bancária em julho de 2011 nos municípios da Região Norte Fluminense. Campos dos Goytacazes contabilizou um saldo de crédito de R$1,1 bilhão, seguido por Macaé com um saldo de R$973,6 milhões. Nos depósitos a vista do setor privado, Macaé contabilizou um saldo de R$249,1 milhões e Campos dos Goytacazes contabilizou um saldo de R$216,0 milhões.

O gráfico ao lado apresenta a trajetória do saldo de depósito a prazo em São João da Barra nos sete meses de 2011. O município apresenta um substancial volume nessa operação, considerando a dimensão do seu setor financeiro. Depois de uma leve retração em maio e junho, voltou a crescer em julho.

domingo, 2 de outubro de 2011

Índice de Preço ao Consumidor em setembro no município de Campos dos Goytacazes



Alunos do curso de Engenharia de Produção da UENF, sob a coordenação do professor Alcimar Chagas, calcularam o índice de preço ao consumidor (IPC) de Campos dos Goytacazes em setembro de 2011. Foi utilizada a metodologia do projeto Cesta Básica PROCON-DIEESE (Centro de Estudos e Pesquisas da Secretaria de Defesa do Consumidor do Estado de São Paulo e Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos), criada com o objetivo de oferecer ao consumidor paulistano um instrumento auxiliar para a determinação de compras mais racionais do ponto de vista do preço, permitindo-o ter uma visão mais clara da incidência de cada produto sobre seu orçamento doméstico.

Atualmente os valores divulgados pela Cesta Básica, têm servido de referência às autoridades governamentais incumbidas de estabelecer a política salarial, pois ela retrata a renda mínima necessária para garantir o acesso ao consumo dos bens de primeira necessidade; tais como: alimentos, produtos de higiene pessoal e limpeza doméstica.

Como a realidade de consumo nas capitais tende a se diferenciar da realidade em cidades médias, o presente indicador se caracteriza num parâmetro importante para Campos dos Goytacazes e região.

A Cesta Básica foi definida a partir de dados relativos aos hábitos de uma família com renda média até 10,3 salários mínimos e composta de quatro pessoas que compram em supermercados alimentos, material de limpeza doméstica e higiene pessoal. Se composição reúne 31 (trinta e um) produtos: 22 (vinte e dois) de alimentação, 4 (quatro) de limpeza doméstica e 5 (cinco) de higiene pessoal, bem como, as quantidades de cada um, conforme quadro na postagem seguinte.

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) disponibiliza informações sobre a evolução dos preços em geral. Representa o custo de uma cesta de bens e serviços consumida por uma economia doméstica representativa. De forma apropriada, pode mostrar o aumento no custo de vida, pois indica o dinheiro necessário para manter o mesmo nível de vida ao longo do tempo. A inflação, medida pelo IPC, é a taxa de variação percentual que o índice experimenta ao longo do período considerado.

A evolução semanal é apresentada no gráfico acima:

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal apresentou uma queda de 0,25% na segunda semana, tendo como base na primeira semana. Na prévia da terceira semana, observou-se um crescimento de nos preços de 0,44% que evoluiu para um crescimento mais forte na quarta semana de 0,99% e retração acentuada na quinta semana, onde o nível de preços declinou 0,77%.

As variações mais representativas na terceira semana ficaram por conta da alta de 5,82% no preço dos ovos e alta de 2,55% na carne de segunda, enquanto o preço do açúcar caiu 9,86% e o óleo de soja caiu 4,24%.

Na prévia da quarta semana, as principais altas ficaram por conta do crescimento de 8,42% no preço do leite em pó e do crescimento de 38,32% no desodorante spray. As maiores quedas foram de Arroz tipo 2 (5kg) que declinou 3,88% e da Batata que declinou 9,61%.

Na quinta e última semana, foi verificado um crescimento de 7,64% no arroz tipo 2 e um crescimento de 33,45% no preço do feijão. Favorecendo a queda no nível de preço, verificou-se uma queda de 3,05% no preço da carne de primeira e uma queda de 9,70% no preço do sabão em pó.

No cálculo consolidado no mês, a inflação do IPC apurado em Campos dos Goytacazes alcançou o nível de 0,1035%. O mesmo índice apurado nas capitais do Brasil são os seguintes: Florianópolis 3,57%, Porto Alegre 3,01%, Rio 2,76%, Salvador 2,39%, São Paulo 1,86%, Curitiba 1,32%, Vitória 1,31%, Belo Horizonte 0,89%, Manaus 0,68% e Brasília 0,44%.

“É importante observar que o período base para o cálculo em Campos é a primeira semana do próprio mês, enquanto que a base dos outros municípios é o mês anterior”.

Composição da Cesta Básica