Movimentação Bancária em 2010 nos Municípios da Região Norte Fluminense


O Banco Central do Brasil divulgou os valores correspondentes a movimentação bancaria no mês de dezembro, fechando o ano de 2010. Depois de ter alcançado um saldo em operações de crédito de R$1,0 bilhão em novembro, Campos dos Goytacazes fechou o ano com R$988,0 milhões, seguido por Macaé que atingiu um saldo de liberação de crédito em R$810,4 milhões. São Fidélis ocupou o terceiro lugar na região com um saldo de R$79,9 milhões, seguido por São Francisco de Itabapoana com R$52,2 milhões. Os saldos de depósito a vista de governo, depósito a vista do setor privado e depósito a prazo para os municípios da Região Norte Fluminense estão dispostos na tabela.

A comparação dos saldos dessas operações em dezembro de 2010 com os saldos de dezembro de 2009 é apresentada na figura ao lado. Observou-se que no município de Campos houve uma expansão de 20,6% nas operações de crédito, expansão de 3,2% nos depósitos a vista privado e expansão de 1,1% nos depósitos a prazo .

Em Macaé, observou-se uma expansão de 32,3%do crédito, retração de 9,5% nos depósitos a vista privado e expansão de 22% nos depósitos a prazo.

Em Quissamã, observou-se expansão de 20,5% no crédito, expansão de 17,3% nos depósitos a vista privado e retração de 7,5% nos depósitos a prazo.

Em São João da Barra, observou-se expansão de 16,7% nas operações de crédito, expansão de 29,1% nos depósitos a vista do setor privado e expansão 46,8% nos depósitos a prazo.

Comparativamente ao mês de novembro de 2010, o município apresentou um forte crescimento de 69,7% no saldo de depósito a prazo apesar da queda de 18,9% no saldo de depósito avista privado e queda de 0,23% nas operações de crédito. Este quadro pode indicar formação de riqueza concentrada e não refletida no crédito que é gerador de produto, emprego e renda.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra

As medidas do governo do estado e suas contradições