Visão equivocada do Movimento Nossa São João da Barra

Postagem do Jornal A Folha da Manhã sobre o Movimento Nossa São João da Barra


Campos
Por Saulo Pessanha, em 24-03-2011 - 12h09
A Frente Democrática de Campos formada por um leque de partidos, todos de oposição à prefeita Rosinha Garotinho (PMDB), pode estar fazendo escola. Em São João da Barra, foi criado o Movimento Nossa São João da Barra como desdobramento da I Conferência Local de Controle Social. Os mentores sustentam que a iniciativa não tem vinculação partidária.
Mas é improvável que o mote não seja a eleição municipal de 2012. Até porque o Movimento Nossa São João da Barra objetiva incentivar a população a uma maior participação “nas questões relevantes da sociedade, de forma que política públicas de qualidade possam ser implementadas em SJB, refletindo no bem estar da população”.
................................................................................................
Naturalmente, não poderia deixar sem resposta e enviei meus comentários........


Prezado Saulo Pessanha, a minha intervenção objetiva, tão somente, contribuir para um melhor entendimento sobre o Movimento São João da Barra. Verdadeiramente, não se trata de um movimento partidário e também não sofreu nenhuma influência da Frente Democrática Campos. A nossa motivação está na experiência do projeto de extensão da UENF, conduzido pelo professor Hamilton Garcia, que tem nos apoiado brilhantemente. É importante também frisar que o nosso movimento não representa oposição a nenhum político nem partido. Trata-se de um movimento para apoiar uma melhor organização da sociedade civil. A democracia pressupõe organização partidária e organização de entidades civis, de forma que haja um melhor equilíbrio de forças na sociedade, inibindo o possível controle total dos políticos sobre os outros atores sociais. O município de São João da Barra passa por um momento histórico importante e não pode apresentar aos agentes externos uma estrutura social totalmente esgarçada, conforme a existente atualmente e que todos conhecemos. Entendemos que existem recursos humanos importantes no município e que são capazes de contribuir de sobremaneira, entretanto não os identificamos porque as condições ambientais não os permitem exercitar a plena cidadania, já que inexistem ou estão desativados, os mecanismos de organização e fortalecimento social. Como presidente da comissão executiva do movimento, reafirmo que não sou político. Sou economista, professor pesquisador da UENF, nascido e residente em São João da Barra e preocupado com a população, frente a esse turbilhão (Porto do Açu) que muda definitivamente a geografia, a economia e a estrutura sócio-cultural do município.
Cordialmente, Alcimar das Chagas Ribeiro

Comentários

  1. Professor Alcimar:
    Como não sou campista e nem sanjoanense, gostaria de registrar aqui que esse movimento de Controle Social, intitulado "NOSSA" "Nome da Cidade", a que adere, graças a Deus e aos atores envolvidos, a cidade de São João da Barra, deveria existir em todas as cidades do N e NO fluminense.
    A propósito conheço pelo menos: NOSSA BH (MG), NOSSA SÃO PAULO (SP), NITERÓI COMO VAMOS (RJ), NOSSA CAMPOS (RJ) e várias outras localidades do Brasil.
    É uma inverdade, com certeza, o que escreve o jornal, tendo em vista, que conhecendo os conceitos norteadores desse movimento pelo país, poderia dizer que é uma BLASFÊMIA!

    Parabéns a todos os envolvidos no movimento NOSSSA SÃO JOÃO DA BARRA, de longe assistimos com a certeza de que é isso que o município precisa para defender os interesses da sociedade civil.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Angeline. veja com é difícil avançar com uma discussão de ordem coletiva e séria nesta nossa democracia. Não vamos desanimar, ainda mais com o apoio que de recebemos de pessoas com você. Abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como um discurso descuidado induz a erros grosseiros!

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra