Movimentação Bancária em Setembro na Região Norte Fluminense


Os valores na tabela representam os saldos das operações no sistema bancário em setembro, nos municípios da região Norte Fluminense. Macaé contabilizou R$266,3 milhões de depósito a vista no setor privado, valor superior ao volume de R$216,3 milhões em Campos dos Goytacazes.
No que diz respeito a operações de crédito, Campos superou Macaé, contabilizando R$955,1 milhões contra R$794,1 milhões em Macaé.
Na soma dos depósitos a vista e a prazo, Campos contabilizou R$859,5 milhões no mês, contra R$582,3 milhões em Macaé.


Analisando os índices de preferência pela liquidez do público e dos bancos, pode-se observar um comportamento muito equilibrado no município de Campos. Neste caso, quanto menor o índice melhor a confiança entre bancos e clientes e, naturalmente, melhor o ambiente para investimentos produtivos.
Veja que somente Campos e São João da Barra, apresentaram índices de preferência pela liquidez do público mais baixos, o que indica um bom padrão de confiança do público em relação ao sistema bancário local. Os outros municípios apresentaram índices altos, indicando pouca disposição do público em transformar depósitos a vista em aplicações localmente.
Quanto ao padrão de confiança do sistema bancário, em relação ao público, observa-se que em Cardoso Moreira os bancos não estão dispostos a disponibilizar créditos para o sistema econômico, já que a relação depósito a vista /crédito é extremamente alto. O segundo maior índice ocorreu em São João da Barra, onde o crédito não se mostrou compatível com o valor de depósito a prazo no mês analisado. Lembrando que o crédito é fundamental para investimentos produtivos e geração de empregos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra