A piscicultura como alternativa de geração de trabalho e renda

Importante matéria no Globo Rural, neste domingo, mostrou o esforço da pesquisa no Brasil para desenvolver a piscicultura. Depois do desenvolvimento de espécies de água doce como: tilápia e carpa, pesquisadores de São Paulo, Santa Catarina e Paraná, trabalham no sentido da busca de tecnologias para desenvolver a espécie robalo, cuja origem é a água salgada. A escassez, a forte demanda e o alto preço representa um fator de incentivo. O processo de reprodução em laboratório tem sido um grande aliado para a evolução desse esforço.
Em Atafona, São João da Barra, existe um projeto similar voltado para o desenvolvimento da piscicultura de tilápia desde 2004. Apesar da viabilidade técnica, algumas dificuldades de ordem estrutural foram observadas. A primeira e mais importante, diz respeito a impossibilidade de institucionalização, ou seja, o desinteresse do poder público em relação ao projeto. Um outro problema, diz respeito a ausencia do perfil empreendedor localmente. Ficou evidente a postura de dependência dos produtores rurais ao governo, numa resposta à estratégia de dominio da política partidária, muito comum na região. Finalmente, a cultura individualista que representa um fator inibidor da ação coletiva e que contribui para a baixa competitividade das atividades econômicas.
Neste caso, os esforços continuam em busca de novas parcerias e na manutenção dos importantes resultados conseguidos, tais como: a introdução do consumo de tilápia no município, a experiência na aplicação da metodologia, a formação e manutenção de parceria com base na confiança, além de publicações científicas importantes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra