Uma oportunidade para fortalecer o campo

A Lei da Alimentação Escolar define que 30% do Orçamento do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) deve ser utilizado para adquirir alimentos dos agricultores familiares nos municípios da federação. A iniciativa é importante, apesar de que tal fato deveria ser uma pratica comum. Incentivar as atividades agrícolas nos municípios é essencial para a manutenção da população rural nos seus espaços, além da garantia de melhoria das condições de vida desses trabalhores e suas familias.
De qualquer forma trata-se de uma ótima oportunidade para os municípios planejarem melhor o setor agrícola municipal. Já que deve haver uma esforço nesse sentido, o ideal seria não usar somente 30% e sim o máximo possível, tentando substituir as compras externas por produção local incentivada.
Assim, é necessário o envolvimento de outros atores nesse processo. É preciso construir as bases para que o novo sistema possa funcionar. Neste caso, faz-se necessário um processo de organização produtiva para organizar a oferta de alimentos, cuja escala é maior do que a capacidade de produção individual. Um outro elemento, diz respeito a criação de etapas produtivas para orientar o processo de agregação de valor, em função do melhor aproveitamento do produto específico. Por exemplo, o leite pode ser consumido in natura, como manteiga, queijo, doces, qualhada, ricota, etc. Nesse sentido, o conhecimento é fundamental e a pesquisa e a extesão devem compor a estrutura.
Finalmente, a abordagem aos produtores é o elemento essencial. Afinal, esses trabalhadores precisam entender muito bem esse novo modelo. Entretanto, essa relação não é tão simples como normalmente se pensa. A desconfiança desses atores nas instituições é real e o resgate de uma relação mais propícia ao novo momento é uma empreitada estritamente profissional. Grupo de pesquisadores com perfil multidisciplinar deve agir nesse sentido. Afirmo que não é tarefa para amador.
Os dados acima mostram os valores transferidos pelo governo Federal em 2009 e 2010, referentes ao programa de merenda escolar. Conforme pode verificado são valores importantes que representam 2,21% do PIB agropecuário da Região NorteFluminense.
A garantia de uma melhor adaptação do campo as atividades industriais e de base tecnológica, depende de uma melhor profissionalização da gestão pública. Conforme podemos verificar, recursos financeiros e tecnológicos não representam restrições ao processo. O problema é o distanciamento entre a vertente partidária e a vertente técnica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como um discurso descuidado induz a erros grosseiros!

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra