O PERFIL DO EMPREGO NA REGIÃO NORTE FLUMINENSE

A trajetória de recuperação da economia brasileira, posterior à crise financeira nos Estados Unidos, no final de 2008, reflete positivamente na movimentação de emprego da Região Norte Fluminense. Depois da retração no nível de investimento privado no segundo semestre de 2009, especialmente na indústria petrolífera em Macaé e no complexo portuário do Açu em São João da Barra, o ano de 2010 volta a apresentar uma trajetória de evolução positiva com um importante incremento dos saldos de empregos na região.

O gráfico acima chama a atenção para a evolução do emprego nos municípios de Campos e Macaé neste ano, através dos saldos de novas vagas de trabalho formal criadas nos primeiros quatro meses. Depois de amargar saldos negativos em 2009 - Campos com 183 e Macaé 87 vagas destruídas – o resultado do quadrimestre é extremamente positivo, onde Campos dos Goytacazes apresentou um saldo de 917 e Macaé um saldo de 896 novas vagas.

As ocupações que predominaram em Campos dos Goytacazes estão ligadas à construção civil e ao setor de serviços. Os investimentos públicos para a construção de cassa populares somados aos recursos investidos na infraestrutura do município, têm sido fundamentais para esse contexto.

Em Macaé, as ocupações responsáveis pelo saldo positivo estão relacionadas à indústria de transformação e as atividades de serviços. A melhor dinâmica na geração de emprego em Macaé confirma a trajetória de recuperação da economia nacional, já que o número de empresas estrangeiras que operam na região é substancial.
A movimentação do emprego nos municípios com menos de 30 mil habitantes, mantém São João da Barra na liderança, no que diz respeito à criação de novas vagas. Em abril, o município abriu mais 34 novas vagas de emprego, contabilizando um saldo de 460 novos empregos no ano. As ocupações mais relevantes nesse processo são do setor de construção civil, em função dos investimentos no complexo portuário do Açu. Estas atividades demandam, especialmente, serventes de obras, motorista de caminhão e carpinteiro.

O município de Quissamã mantém um bom saldo de trabalho no ano, entretanto as ocupações predominantes apresentam uma outra natureza. São investimentos públicos nas ocupações de professor de ensino fundamental e salva vidas. Observa-se certa dificuldade na atração de investimentos privados.

O município de Conceição de Macabu apresentou uma trajetória crescente na geração de emprego no primeiro trimestre do ano, porém em abril contabilizou um saldo negativo de 122 vagas perdidas. O forte processo de desligamento no mês indica a finalização de um processo de trabalho no setor de construção civil, já que as ocupações envolvidas são serventes de obras, montador de estrutura metálica e carpinteiro.

Finalmente os municípios de Cardoso Moreira e Carapebus, apresentam uma movimentação de emprego mais geral. Ocupações nas áreas de transporte, agropecuária e construção civil constituem o saldo positivo de Cardoso Moreira, enquanto que Carapebus registra novas vagas através das ocupações de caixa de bancos, empregado doméstico, vendedor do comércio varejista, gerente de contas e vidraceiro.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra

As medidas do governo do estado e suas contradições