A importância do setor sucroalcooleiro na geração de emprego

A partir do inicio da moagem de cana-de-açúcar, em abril de 2009, o nível de emprego em Campos dos Goytacazes começou a mudar. Após os resultados negativos entre admissões e desligamentos, nos três primeiros meses do ano, os saldos passaram a ser positivos e o setor sucroalcooleiro mostrou a sua importância como gerador de empregos. Na análise das admissões nas ocupações diretamente ligadas ao setor, pode-se verificar o quanto é essencial entender as dificuldades por que passa a atividade sucroalcooleira no município. O gráfico a seguir apresenta a participação das admissões geradas diretamente no setor, comparativamente, as admissões totais geradas em todos os setores no período entre abril a agosto de 2009.



Observa-se que em abril as admissões diretamente relacionadas ao setor sucroalcooleiro representaram 31% das admissões totais, em maio 22,6%, em junho 39,9%, em julho 24,9% e em agosto 15,4%.

Considerando que as participações percentuais nos respectivos meses referem-se somente as admissões diretas, a importância do setor na geração de emprego é inegável. Para uma visão mais ampliada ainda é necessário levar em consideração as admissões indiretas refletidos em outras atividades como comércio, serviços, consultoria e atividades industriais relacionadas ao setor sucroalcooleiro.


Comentários

  1. Não sei se estou enganada, mas tenho ouvido falar muito em incentivos à produção de cana, seja para o biodiesel, seja para a produção de cachaça, etc.
    Campos, indubitavelmente, representa importância enorme nesse segmento p o RJ. Mas, os índices apontam p um melhor mercado ou mais amplo no Centro-oeste.
    Outra informação, é que se não me engano, os acionistas das plantas do setor canavieiro campista, os proprietários são em sua maioria de fora do RJ o que atravanca certa evolução por necessitar atrair o interesses dos alienígenas no setor.
    Como fica tudo isso?
    Os incentivos, a propriedade das plantas e a importância do setor p a economia do município?

    ResponderExcluir
  2. Realmente, existe um Programa Federal de subsídio para os produtores de cana das regiões litorâneas, em função das dificuldades inerentes a irregularidade de chuvas. O nordeste foi a primeira região beneficiada e, posteriormente, a Região Norte Fluminense. Quanto aos empresários do setor em Campos, são realmente de fora. Entretanto, os problemas do setor são muito mais complexo do que a sua estrutura coorporativa. Na verdade um entendimento mais amplo dos problemas passa pela investigação da estrutura socio-cultural e pela veriicação sobre como ocorrem as relações entre os atores envolvidos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra