Desenvolvimento ou crescimento econômico: o que pretende a região?

Fortes expectativas sobre um novo ciclo de desenvolvimento econômico na Região Norte Fluminense se materializam nos investimentos que estão em implementação e nos investimentos que estão em planejamento. Em construção o complexo portuário do Açu é uma referencia importante e, em planejamento, estão: o porto de Barra do Furado a unidade de geração de energia para o Porto do Açu, siderúrgica e outros projetos potenciais em função da magnitude da infra-estrutura logística que terá sua base na região mais, especificamente, no município de São João da Barra.
Adicione-se a esses investimentos as novas descobertas de petróleo na camada pré-sal e suas ações de desdobramentos, como a feira da industria offshore em Macaé. O evento Brasil Offshore, que acontece no período de 16 a 18 de junho no município, é considerado como a terceira maior feira do setor no mundo. Segundo a organização, a sua magnitude compreende 636 expositores, 1.300 marcas representando 34 países e um movimento estimado de negócios da ordem de R$ 60 milhões.
Nesse contexto é muito importante observar a dinâmica dos investimentos e a sua natureza. Não resta dúvida que estamos no inicio de um processo de transformação que refletirá no aumento do produto, emprego e renda. Esse movimento, entretanto, não pode ser conceituado como desenvolvimento e sim crescimento econômico. A história tem mostrado que processos de natureza exógena como o presente, são excludentes, já que não possibilita a reserva de emprego para os nativos sem a qualificação devida e, normalmente, o fluxo de trabalhadores vindo de outras regiões alimenta o processo inflacionário que, por sua vez, pressiona a desigualdade social.
Neste caso, pensar o município de forma sistêmica é essencial para inibir fortes desequilíbrios. É preciso identificar os recursos potenciais localmente, tais como: habilidades práticas, conhecimento histórico e cultural, atividades históricas, conhecimento formal e recursos naturais, de forma a potencializar negócios de natureza includente, onde os nativos possam, gradativamente, conviver com as fortes mudanças. Fundamentalmente, o processo deve ser induzido por grupos que detenham conhecimento formal, o que não é uma pratica corrente na região. A gestão nos municípios, normalmente, segue uma orientação partidária, onde indivíduos sem a preparação adequada são responsáveis pelo futuro de suas populações. O resultado não pode ser outro, a não ser a configuração de desequilíbrios diversos e o aprofundamento da pobreza no seio desses municípios. Como exemplo, a já instalada violência e favelização de Macaé e Campos e o movimento de insegurança que se inicia em São João da Barra.

Comentários

  1. Professor,

    A reflexão feita para o município de Campos e arredores, é perfeita também p os outros municípios do país. Principalmente, quando se pensa as sucessões políticas e a falta de continuidade dos gestores públicos.

    Excelente reflexão.

    Gostaria também de ler aqui, sua opinião sobre o potencial da cidade de Campos, no que diz respeito ao Turismo histórico e cultural. Haja vista que essa cidade foi o eixo do desenvolvimento do estado em épocas passadas, principalmente, com a indústria açucareira, detendo hoje, inúmeros prédios históricos e uma memória histórica incomparável.

    De que forma, esse potencial turístico pode favorever a região e o que tem sido feito nesse sentido.

    Abraços e parabéns pela iniciativa de divulgar seu pensamento e informações, fazendo com que aqui, as pessoas tenham a possibilidade de refletir sobre pontos cruciais de desenvolvimento econômico.

    Muito bem apresentado o paradoxo: "desenvolvimento X crescimento" econômico.

    Abçs da Blogueira do Noroeste Fluminense
    Angeline Coimbra

    ResponderExcluir
  2. Olá Angeline. Muito obrigado por sua avaliação. Quanto a proposta para eu emitir uma visão sobre o potencial turístico histórico e cultural de Campos, quero pedir desculpas por não ter conhecimento suficiente. Garanto-lhe que vou pesquisar sobre o tema. Se você quiser enviar a sua análise sobre a questão, terei imenso prazer em postar.
    Um grande abraço, Alcimar Chagas.

    ResponderExcluir
  3. Alcimar,

    Lamento não poder colaborar, por desconhecimento de causa, mas tenho muita curiosidade no tema.

    Parabéns pelo belo trabalho. Sou seguidora do blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EM 2012

São João da Barra: uma coletividade oprimida politicamente que dá sinais de reação

Porto do Açu em alta e deterioração do comércio em São João da Barra